08 março, 2006

TV Digital – Presidente opta por padrão japonês


O Jornal "Folha de São Paulo" de hoje informa que o Presidente da Republica optou pelo padrão japonês (ISDB) para a TV digital brasileira. A decisão deve ser anunciada na próxima sexta feira.
Segundo o jornal, a opção do Presidente se deu pelo fato de ser considerada mais vantajosa. O padrão japonês era o preferido entre as grandes redes de TV (dentre as quais a Rede Globo). A fase de transição nesse padrão é considerada mais lenta que o americano e o europeu.

Em ano de eleição, não é bom criar conflito com ninguém, não é mesmo?

Mas a questão não é tão simples assim.
A TV digital, como já foi lembrado aqui no blog pelo Daniel Lopes, pode e deve ser um importante instrumento democrático de comunicação. Dependendo do sistema que for implementado no Brasil, a TV Digital pode garantir a democratização e o direito à informação. A implantação da TV digital permite que, na mesma freqüência de um canal analógico, mais três canais funcionem. Seria um considerável avanço. Canais comunitários, de interesse público e tantos outros seriam viáveis. Mas esse não é o interesse dos grandes conglomerados. O padrão japonês é o preferido entre as grandes redes, pois seu alto custo de instalação dificulta a democratização do processo.

Sem propor um debate com a sociedade, o Presidente Lula escolhe o padrão que mais favorece os grandes veículos de comunicação. Mais uma decisão ELEITOREIRA do senhor presidente.

O debate é necessário!

6 comentários:

daniel lopes disse...

Não podemos aceitar o Padrão Japonês!!! Seu alto custo impede que veículos de comunicação com menor poder aquisitivo participem desta possível revolução, com a vinda da TV DIGITAL ao Brasil. Seremos contrários ao padrão japonês!!! E qualquer outro internacional!!! Devemos ter nosso próprio modelo, Padrão Nacional!!! Eles pressionam de lá, nós pressionamos daqui!!!

Bruna disse...

Amigos, mas o que temos q pensar é q o padrão japonês ainda é o mais sensato pois, privelegia uma boa definição na imagem e tb a revolução digital a partir desse sistema será a a longo prazo. Não podemos esquecer que a a Tv ocupa 90% dos lares brasileiros qualquer revolução muito rápida e que ainda possuam influencias além dos meios radiodifusores poderá ser caótica, principalmente para a economia, mesmo possuindo um custo mais baixo.
Como diz a banda Lingua de trapo
" O cidadão não tem o que comer, mas tem forno de microondas.
O cara naõ sabe ler não sabe escrever mas tem microcomputador.
Não tem um puto no bolso mas possui cartão magnético"
A famosa miséria informatizada
Revolução digital, tecnologica SIM, mas com parcimônia.

Abraços

CCCP disse...

Gostaria de não ser tão cético e acreditar que existe algum interesse real pelo acerto na definição do padrão de tv digital a ser adotado... Mas qualquer um que já tenha assistido qualquer filme vagabundo sobre a ação de lobbies e quetais sabe que o que conta numa decisão dessa magnitude é o poder do dinheiro utilizado no "convencimento" dos dirigentes de plantão, além, obviamente no Brasil, -onde o poder se tornou meio e finalidade em si mesmo-, dos interesses eleitoreiros envolvidos na questão. Assim, prepare-se para mais "nuncanastóriadessepaís..." que vem por aí.

CCCP disse...

Só mais uma coisinha: essa estória de "debate com a sociedade" é fuga amiguinho. Só aparece como opção quando o governo de plantão não quer tomar posição em questões que irão lhe trazer o peso da responsabilidade como viés negativo, (vide o caso do desarmamento), donde então se cai naquela situação de "batuque prá doido dançar", com o governo sendo dono do atabaque e, adivinhe quem, fazendo papel de doido ?

Num piquenique forrado desses, quem é que vai querer saber o que pensa a sociedade ? Sociedade nem descobriu qual a diferença entre estéreo e mono ainda, quanto mais sobre analógico e digital.

Daniel Lopes disse...

Existem aqueles que nasceram com o objetivo utópico de consertar o mundo. Tem outros ainda, que apontam erros e sugerem soluções. Há aqueles ainda que entendem que o mundo não tem conserto, portanto, o único jeito é "b0ombardear" por todos os lados.
O fato é que todos cumprem seu papel na sociedade, e é válido!!! Viva a democracia!!!

Anônimo disse...

"nunca na história desse país", em homenagem ao colega que parafraseou o nosso Presidente, houve interesse em modernização dos meios de comunicação. Debates devem existir, é claro, mas creio que o governo esteja agindo certo na medida em que, embora escolha o padrão mais caro, está no caminho da melhora qualitativa da transmissão via tv.
Abraços a todos.