30 junho, 2008

CUT CURTAS 12

Hegemonia de centro-esquerda

Terminado o período de negociações, as eleições em Sorocaba caminham para a polarização já no primeiro turno. No fim, ficaram nítidos dois grupos políticos: de um lado, os conservadores e a velha direita, embora representada pelo sorriso de plástico de uma cara recente na política, o prefeito Vitor Lippi. De outro, as forças democráticas e progressistas, numa aliança ampla mas hegemonizada pela centro-esquerda, articulada em torno de uma figura conhecida e com tradição de luta popular e sindical, o deputado Hamilton Pereira. Correndo por fora, mas com o risco de apenas fazer figuração, a candidatura do ex-vereador e deputado estadual do PSOL, Raul Marcelo.


Mundo do trabalho

Com a saída de Gabriel Bittencourt do páreo da disputa pela Prefeitura e o ingresso do PCdoB em sua coligação, o deputado estadual e ex-sindicalista metalúrgico Hamilton Pereira conseguiu agregar em torno de sua candidatura as três grandes centrais de trabalhadores que têm vida efetiva em Sorocaba. CUT, Força Sindical e CTB. O mundo do trabalho está unido, do mesmo lado. Já no outro campo...


Bloco unidos da rejeição

Os operadores políticos do candidato Lippi, tão profissionais e especialistas na velha forma de fazer política, podem estar atirando no próprio pé. Com as adesões de Crespo, do DEM, e de Oswaldinho, do PMDB, conseguiram reunir na mesma aliança os políticos mais rejeitados da cidade. Além deles, já estão no grupo Flávio Chaves, ex-prefeito, ex-deputado e ex-presidente da Nossa Caixa, que depois do escândalo da raspadinha submergiu politicamente; Paulo Mendes, vereador, ex-PFL, considerado o pior prefeito que Sorocaba já teve; Theodoro Mendes, também ex-prefeito e ex-deputado federal, que depois de ter integrado o Centrão, que bancou os cinco anos para Sarney -- o que lhe rendeu concessões de rádio --, nunca mais se reelegeu; e Cláudio Grosso, que também foi prefeito, embora, como a viúva Porcina, pareça nunca ter sido.


Bons "argumentos"

Muito engraçado o Oswaldinho Duarte, do PMDB, declarar, ao Bom Dia, que foi "forçado" a apoiar Lippi porque Hamilton é "inegociável" e "radical, com quem não há diálogo". Que meigo. Acontece é que Hamilton não convenceu Oswaldinho porque não tem os mesmos "argumentos" que foram apresentados ao presidente do PMDB pelo seu ex-correligionário Flávio Chaves, o quercista da Nossa Caixa e da raspadinha, agora aninhado junto aos tucanos. Este sim, tem muitos "argumentos" bem convincentes.


Mata-emprego

Embora candidato a vereador, corre à boca pequena que teria sido garantida a Crespo a presidência da Urbes em caso de vitória da coligação lippista. Crespo já passou por lá, quando Pannunzio era prefeito, e foi responsável pelo extermínio de mais de 1000 empregos. É bom os trabalhadores do transporte coletivo de Sorocaba ficarem espertos, pois o uso do cachimbo entorta a boca.

Mais uma do PIG

O PIG - Partido da Imprensa Golpista -, ataca de novo.

Como todos devem se recordar, no ano passado, quando o presidente venezuelano Hugo Chavez promoveu um referendo para alterar a constituição e poder tentar a reeleição para mais um mandato, foi acusado de golpista e ditador, de forma unânime, por todos os órgãos da grande mídia.

Apesar disso, o "ditador", como diziam, foi derrotado no referendo e reconheceu a vontade popular, acatando a decisão das urnas.

O PIG também denunciava o golpismo do presidente Lula, que, supostamente, teria a pretensão de disputar um terceiro mandato.

Recentemente, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, que conta com apoio do presidente Bush e, portanto, conta com a simpatia do PIG, também anunciou que tentará mudar a constituição para se reeleger, para um terceiro mandato.

Como o PIG aborda a questão? A Folha de São Paulo, na edição do último sábado, anunciou:

"Uribe tenta referendo para repetir pleito que o reelegeu".

Que meigo! Já pensaram qual seria a manchete se o presidente Lula apresentasse uma proposta semelhante?!?

28 junho, 2008

Gabriel fecha com PT

Hoje, às 15:00 horas, na sede do PCdoB em Sorocaba, Gabriel Bitencourt, até então candidato a prefeito, anunciou que irá abrir mão de sua candidatura para apoiar o candidato do PT, Hamilton Pereira.

Para Gabriel, "as forças políticas tradicionais e conservadoras de Sorocaba articularam-se todas em torno da candidatura Lippi. Neste quadro, nós, do PCdoB, entendemos que as forças populares, democráticas e de esquerda não poderiam sair divididas. Somos parceiros do PT e dos outros partidos que, no nível nacional, sustentam o governo Lula e são co-responsáveis pelos avanços que o Brasil está vivendo".

Com isso, podemos afirmar que a eleição em Sorocaba se dará em um único turno e será uma disputa bastante clara entre esquerda e direita.

Pessoalmente fico muito feliz com a aliança com Gabriel, um companheiro de longa data e que, tenho certeza, será de grande valia para a disputa que se aproxima.

27 junho, 2008

Câmara instalou comissão sobre fontes renováveis de energia

A Câmara instalou dia 25 de junho, a Comissão Especial de Fontes Renováveis de Energia, a partir do PL 1563/2007 de autoria do deputado Paulo Teixeira, que analisará uma série de projetos sobre o tema.
A comissão deverá avaliar incentivos ao uso de energia renovável e o potencial de expansão das matrizes alternativas.
De acordo com o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que integra a comissão, uma das áreas mais promissoras é a de geração de energia a partir do bagaço de cana.
"Hoje, 3% de toda a energia gerada no Brasil já vêm dessa fonte, mas podemos chegar a 10%, dado o potencial das usinas de álcool", afirmou. Segundo ele, também há um enorme potencial para a energia eólica, principalmente no Nordeste e no Sul.

Crespo fecha com Lippi

Foi anunciado, há pouco, que o eterno candidato Caldini Crespo irá apoiar o prefeito Vitor Lippi nas próximas eleições. Deverá receber, em troca, uma secretaria e apoio para sua candidatura a deputado estadual.

Com isso, fica definido o quadro sucessório.

Haverá uma polarização bastante clara entre PSDB e PT. Fecharam grandes coligações e terão o maior tempo de TV.

Raul Marcelo, candidato pelo PSOL, atuará como franco-atirador. Sabe que suas chances são diminutas e seu principal objetivo será manter-se em evidência para garantir sua reeleição como deputado estadual. Como busca um eleitorado mais à esquerda, é provável que concentre seus ataques no candidato petista, Hamilton Pereira, poupando a aliança tucana. Como fez Heloísa Helena nas eleições presidenciais.

Gabriel Bitencourt, candidato pelo PCdoB, enfrentará grandes dificuldades. Assim como Raul Marcelo, sabe que suas chances são pequenas e pretende usar o pleito municipal para manter-se em evidência, tentando, em 2010, eleger-se deputado estadual. Ocorre, porém, que Gabriel ficou sem aliados, nem o "bloquinho" de esquerda o apóia; e sem discurso. A proximidade do governo Lula será usada por Hamilton Pereira. A proximidade com o governo Serra (e a continuidade da administração) será usada por Lippi. Raul Marcelo será a oposição à esquerda. E Gabriel? É um ponto de interrogação.

Com Crespo apoiando Lippi, o candidato tucano congrega as todas forças que administram Sorocaba há décadas: Flávio Chaves, Pannunzio, Paulo Mendes, Renato Amary (com restrições). Além de contar com o apoio das famiglias Crespo e Pannunzio que dominaram Sorocaba durante a ditadura militar.

Dessa forma, o desafio de Hamilton Pereira é enorme. Derrotar a aliança de todas as forças conservadoras da cidade, contando com divisão na esquerda.

Essa missão hercúlea só terá êxito se o candidato petista for capaz de apresentar um plano de governo ousado e realista, que deixa claro para a sociedade as transformações que pretende realizar. Mudanças que devem ser profundas, significativas, a ponto de fazer as pessoas desejarem viver numa cidade livre de tucanos.

Por que o governo Lula perdeu a batalha das comunicações

A Agência Carta Maior divulgou análise muito interessante de Bernardo Kucinski sobre o papel da mídia no governo Lula e sobre os erros do governo - e do PT -, em sua política de comunicações.

A mídia na era Lula deixou de funcionar como mediadora da política, passando a atuar diretamente como um partido político de oposição. Apesar de disputarem agressivamente o mercado entre si, há mais unidade programática hoje entre os veículos da mídia oligárquica do que no interior de qualquer partido político brasileiro, até mesmo partidos ideológicos como o PT e o PSOL. Todos os grandes veículos, sem exceção, apóiam as privatizações, a contenção dos gastos públicos, a redução de impostos; a obtenção de um maior superávit primário, a adesão do Brasil à ALCA; todos são críticos à criação de um fundo soberano, ao controle na entrada de capitais, ao Bolsa Família, à política de cotas nas universidades para negros, índios e alunos oriundos da escola pública, à entrada de Venezuela no Mercosul e ao próprio Mercosul. Todos criticam o governo sistematicamente, em todas as frentes da administração, faça o governo o que fizer ou deixar de fazer.

Leia mais

26 junho, 2008

Uso de cocaína no Brasil cresce, aponta relatório da ONU

O relatório mundial sobre drogas do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC) destaca que apesar da diminuição do uso de cocaína em grande parte do planeta, ele tem aumentado no Brasil. O mercado de consumo chegou a cerca de 0,7% da população em 2005, contra 0,4% em 2001.

O cálculo, que aponta um mercado de aproximadamente 870 mil usuários, no entanto, não é novidade para as autoridades brasileiras. Isso porque os dados são da pesquisa nacional de domicílios, produzida pelo governo. Apesar disso, é a primeira vez que os dados são cruzados com números internacionais. Devido a isso, o Brasil se situa no segundo lugar das Américas.

A ONUDC ainda relatada aumento de atividades de grupos ligados ao tráfico de cocaína na região Sudeste, o que pode indicar que há mais cocaína disponível nessas áreas. O Sudeste e o Sul do país são as áreas mais afetadas pelo consumo de cocaína.

Tais dados apontam que nossa política anti-drogas é equivocada. Nos últimos , anos milhares de pessoas foram presas, acusadas de tráfico de drogas, organizações criminosas gigantescas (como o PCC), surgiram e se fortaleceram. Resultado: o mercado de drogas cresceu.

É semelhante à situação dos EUA quando foi instituída a lei seca, proibindo a venda de bebidas alcóolicas. O consumo prosseguiu, surgindo, porém, uma grande organização criminosa, responsável pelo contrabando de bebida, chefiada pelo ilustre "Al Capone".

Tenho a impressão de que o consumo e o comércio de drogas deveria ser legalizado, recolhendo-se impostos sobre tal comércio, e fazendo grandes campanhas de esclarecimento (como já acontece com o cigarro e as bebidas alcóolicas).

Caso contrário, assistiremos ao crescimento exagerado do número de prisões, cujos custos os orçamentos estaduais já quase não conseguem suportar. E mais: os jovens, depois de presos, são colocados na marginalidade, não conseguem empregos honestos e são, às vezes de modo definitivo, incorporados ao crime organizado.

25 junho, 2008

Quando o rabo balança o cachorro.

"Caminhos da distribuição de renda"
Editorial do Jornal Cruzeiro do Sul, de 25/06/2008, na página 3 do caderno A.

"Como se vê, é preciso muito mais do que marketing de governo para se atingir uma distribuição de renda mais equânime e justa num país como o Brasil"
O resumo do Editorial está na frase em destaque acima, dando ênfase negativa às transformações que estão ocorrendo em nosso país. O texto aborda os avanços ocorridos na distribuíção de renda, nos últimos cinco anos. Inclusive apresentando dados estatísticos do Ipea:
"Nas contas do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), atualmente os salários mais altos são 23,5 vezes maiores que os mais baixos, sendo que, há cinco anos, os mais altos superavam em 27,3 vezes os mais baixos."
Mais abaixo, o Editorial apresenta a opinião do jornal:
"Mas a distância que ainda separa os maiores dos menores salários (25,3 vezes) é ainda enorme e revela uma das faces duras da exclusão social - ou socioeconômica."
Conclui dizendo que a distribuíção de renda avançará, realmente, quando fizermos a Reforma Tributária e diminuirmos a taxa de juros.
Está correto o jornal em emitir opinião através de seu Editorial. Todavia, é através dele que podemos medir as influências ideológicas que o direcionam.
Embora reconheça que houve avanço, o Jornal evita relacionar o sucesso ao governo Lula, dizendo apenas que a efetiva distribuíção de renda se iniciou nos últimos cinco anos.
Além disso, faz uma avaliação absolutamente pessimista, dizendo que o índice Gini (medidor da concentração de renda do trabalho) comprova que estamos muito distantes do ideal.
É verdade. Entretanto, estes números diminuem ano a ano, desde que o Governo Lula entrou em cena. Durante o Governo do PSDB, a situação era alarmante. A concentração de renda só aumentava.
Se é verdade que a taxa de juros tem responsabilidade, também é verdade que ela nunca esteve tão baixa. Recentemente, o Copom a elevou um pouco, receoso com o aumento da inflação. Inclusive com a inédita concordância do Ministro Guido Mantega. E mesmo assim, não chega próxima às taxas de juros tucanas.
A Reforma Tributária ainda é um entrave. A resistência se dá em todos os setores ideológicos. Ives Gandra, grande jurista, mencionado no editorial como defensor da Reforma Tributária, é um homem de direita. Idelógico. Deveria, portanto, conversar com os políticos do eixo demo-tucano, convencendo-os a concordar com o Imposto sobre Grandes Fortunas, proposta apresentada pelo PT.
Talvez possamos começar a Reforma Tributária por aí, contemplando o Princípio da Isonomia.

Embarque neste Carrossel...

Estamos falando muito de política. É hora de descontrair.

Quem foi criança na década de 90 deve se lembrar do Jaspion, Changeman, He-Man, Caverna do Dragão, Lucas Silva e Silva e da famosa novela do SBT: Carrossel.
Esta novela representou dois traumas de infância para mim. Sempre fui gordo, só depois de adulto emagreci (embora alguns maldosos insistam em dizer que permaneço gordo). Vários eram os chingamentos baseados em personagens da TV: Nhonho, Seo Barriga, Free Willy ou Jaime Palilo, o godinho da novela Carrossel.
O Reinaldo me entende e se solidariza, certamente.
Isto representou meu primeiro trauma.
Todo menino, quando criança, desenvolve, também, suas paixões platônicas. Ou pela professora, por uma coleguinha de classe, alguma atriz, apresentadora de TV...
A novela O Salvador da Pátria, despertou minha primeira paixão platônica infantil: Maitê Proença. E a novela Carrosel, a segunda: Maria Joaquina.
Meu segundo trauma.
Passava horas pensando nelas. Ingenuamente, imaginava-me casando com uma delas. Feliz. Com filhos...
Até que cresci. Tudo passou. Caí na real.
Mas a Maria Joaquina cresceu também. Descobri hoje passeando pela net. E a paixão retornou!
Fenômeno!
Sensacional!
Acho que embarco pro México amanhã mesmo!!!





PS:

Reinaldo, larga a Angelina Jolie pra lá! Tento te arrumar a Valéria, era da mesma classe da Maria Joaquina e também está belíssima!!!

Quem quiser relembrar a abertura da Novela Carrossel, clique no título da postagem e confira no Youtube.

Evangélicos “invadem” Congresso e reivindicam direito de criticar homossexualismo

Cerca de mil evangélicos realizaram, na tarde desta quarta-feira, um grande protesto em frente ao Congresso Nacional contra o projeto de lei (PL) 122/2006, que entre outros pontos prevê prisão para quem praticar a homofobia. Uma parte dos manifestantes, inclusive pastores e parlamentares, forçou a entrada no Parlamento e distribuiu um documento a parlamentares para pedir a rejeição do projeto, alegando "prejuízo" à prática religiosa.

A luta contra o projeto de lei, que atualmente aguarda votação na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, vem ocorrendo há semanas, por meio dos obstáculos colocados por senadores evangélicos para impedir sua apreciação e aprovação. Os senadores conseguiram mobilizar caravanas que somaram cerca de mil manifestantes na frente do Congresso, que fizeram orações e gritaram palavras de ordem contra o PL.

Um dos pastores que puxou as orações, Jabes de Alencar, da Assembléia de Deus, apelou:

"Senhor, sabemos que há uma maquinação para que este País seja transformado numa Sodoma e Gomorra. Um projeto desses vai abrir as portas do inferno”.

fonte: Último Segundo

Abrir as portas do inferno?!?! Seria uma boa idéia. Abrir as portas do inferno, jogar todos esses pastores lá dentro, trancar e jogar a chave fora.

24 junho, 2008

Coletivo Garantia de Luta

Participei, neste final de semana, da reunião do Coletivo Garantia de Luta Sorocaba/Zona Norte
Grupo político do PT, o Garantia de Luta existe no Estado de São Paulo e tem como grandes referências, o Deputado Estadual Simão Pedro e o Deputado Federal Paulo Teixeira.



O Candidato a Prefeito pelo PT, Hamilton Pereira, esteve presente.
Foi muito qualificada a atividade!
Além de Hamilton, grandes referências também participaram:
Vitor Hugo Tavares: professor de educação física.
Josué de Lima: coordenador do Movimento Hip Hop Rima e Revolução.
Sebastião Albuquerque, o Tico: dirigente do MST.



O próximo encontro será na região sul da cidade. Todos estão convidados.
Dia 29 de junho, domingo agora, à Rua Borba Gato, 276 - Salão Social do Clube Santana - Vila Santana. Às 15h.
Comparecerão: Hamilton Pereira e o Deputado Federal Paulo Teixeira.

Falece Ruth Cardoso

Ruth Vilaça Correia Leite Cardoso nasceu em Araraquara, no dia 19 de setembro de 1930. Era doutora em Antropologia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).
Como docente e pesquisadora atuou na USP, Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Flacso/Unesco), Universidade do Chile (Santiago do Chile), Maison des Sciences de L'Homme (Paris), Universidade de Berkeley (Califórnia) e Universidade de Columbia (Nova Iorque).
Era membro associado do Centro para Estudos Latino-Americanos da Universidade de Cambridge (Inglaterra) e membro da equipe de pesquisadores do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap - São Paulo).
Publicou vários livros e trabalhos sobre imigração, movimentos sociais, juventude, meios de comunicação de massa, violência, cidadania e trabalho.
Durante o mandato do marido, fundou e presidiu o Comunidade Solidária, atual Comunitas, organização responsável por programas sociais e de voluntariado.

Globo é contra independência de países africanos

Hoje, no Bom (?) Dia Brasil, a propósito do Zimbábue e da ditadura Mugabe, Renato Machado proferiu o mais completo discurso colonialista, desde quando o Governo brasileiro e a elite branca defendiam a política de ultra-mar de Portugal e o apartheid na África do Sul.

Machado - não confundir com William Waack nem com Miriam Leitão, da mesma emissora - disse o seguinte:

- O Zimbábue e a ditadura Mugabe são a prova de que o nacionalismo E A INDEPENDÊNCIA da África não deram certo. Um sonho que não deu certo !

Em nenhum outro lugar do mundo um âncora de uma rede aberta de televisão (aberta, portanto, uma concessão !) teria o direito de defender o regime colonial na África - impunemente.

Pois, no Brasil, isso é possível.

A Globo pode tudo.

fonte: Conversa Afiada

CUT CURTAS 11

Frente ampla

O PT está dando um banho: após a desistência de Amary, saiu na frente e foi capaz de atrair um conjunto de partidos, em especial aqueles que compõem a base de apoio do governo Lula, para a candidatura Hamilton Pereira. Os operadores petistas conseguiram isolar a candidatura Lippi, que praticamente continuou do mesmo tamanho de antes. Hamilton deve ficar com o maior tempo da campanha na televisão.


Coral dos bigodudos

Fora Amary, todos os ex-bigodudos prefeitos de Sorocaba estão com Lippi. Flávio Chaves, que agora “raspou” o vasto bigode, tem sido o operador “político” da candidatura, cheio de “argumentos”, tantos que foram capazes de convencer o pastor Jefferson, do PTB; Paulo Mendes articula os vereadores e Pannunzio é quem negocia por cima, com o cardinalato tucano. A elite se junta em torno de Lippi, com medo de perder as benesses.


Sempre serão bem vindos

O presidente do PT, Paulo Henrique Soranz, respondeu na bucha as insinuações dos jornais quanto a presença dos deputados federais José Genoíno e João Paulo na convenção do PT. O Bom Dia chegou a perguntar se o PT não temia vincular sua imagem aos “mensaleiros”. Soranz não vacilou: “são dois parlamentares que engrandecem o partido. A história de ambos, de luta pelas causas democráticas e populares, não começou ontem. Passou pelo enfrentamento à ditadura que infelicitou o país, pela construção do PT e pela participação decisiva na vitória do Presidente Lula, cujo governo vem mudando, para melhor, o Brasil. Ambos, juntos de muitos outros, sonharam um sonho impossível, negaram, quando a regra era ceder e ajudaram a vencer o inimigo invencível. Nos orgulhamos deles e de sua história. Eles são e sempre serão bem vindos”, afirmou em nota distribuída à imprensa.


Trincas no ninho

Em Sorocaba, a tucanada rachou. Amary desistiu da candidatura, mas saiu atirando e, pelo menos até o momento, nada indica que possa vir a se agregar à campanha de Lippi. Em São Paulo, foi do mesmo jeito: dez vereadores ligados ao governador Serra, que queriam que o PSDB da capital apoiasse Kassab, retiraram sua proposta, mas não compareceram à convenção tucana. Alckmin ganhou a convenção e é o candidato do PSDB, mas o time sai rachado para as eleições municipais. A divisão é por conta da disputa Serra – Aécio para 2010: eles duelam para saber quem vai perder para o candidato apoiado por Lula.


Grosseria

Pegou mal o prefeito Vitor Lippi não comparecer à inauguração do câmpus Sorocaba, da UFSCar, na última terça-feira, com a presença do Ministro da Educação, Fernando Haddad. A universidade pública é uma velha reivindicação da cidade e, no momento em que ela é oficialmente inaugurada, a maior autoridade municipal não está presente, simplesmente porque Haddad é ligado ao PT, a quem o PSDB faz oposição. Lippi parece não ter a verdadeira dimensão de seu cargo.


Sonegadores assustados

A Receita Federal abriu fiscalização contra 76 empresas da região. Elas são suspeitas de fraudes e sonegação no pagamento das contribuições previdenciárias. Se ficar comprovado o trambique contra a Previdência, podem sofrer ação criminal. Muitas empresas descontam a parte dos trabalhadores e não repassam para o INSS. Em todo país, a Receita estima que o rombo pode chegar a R$ 6 bilhões.

Não deixe que a saudade sufoque,
que a rotina acomode,
que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando,
fazendo que planejando,
vivendo que esperando,
porque embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu.
Luis Fernando Veríssimo

22 junho, 2008

Jogo equilibrado.

As alianças efetivadas pelo PT estão causando muita polêmica na sociedade sorocabana. Os tucanos e seus - pouquíssimos - aliados criticam arduamente as alianças. Esquecem-se, todavia, de que todos estes partidos, posto que fisiológicos, até ontem estavam fechados com eles.
Está correta a correlação de forças capitaneada pelo PT. Renato Amary conseguiu hegemonizar o PSDB na cidade. Nunca votarei nele - e nem no Lippi - , entretanto, é necessário dizer que o responsável pela ascensão do PSDB na cidade é ele. Este mérito passou longe do Panunzzio. Nem raspou no Lippi.
Uma meia dúzia de dois ou três aliados que sobraram para o PSDB, reclamam que isto ocorreu em virtude de o Deputado Federal Renato Amary ter articulado para enfraquecer o Lippi. Todos do PT tem clareza de que as articulações ocorreram por Brasília; o mérito é do Deputado João Paulo Cunha e dos engenheiros políticos petistas locais, que foram mais hábeis que os do PSDB.
Em suma, esta turma tucana new generation é ruim de política barbaridade!
Na Comunidade Sorocaba, do Orkut, as discussões estão bem avançadas. Querem desqualificar o PT por ter feito um arco de alianças de grande porte. Estes partidos estão na base do governo federal. É justificável. Para derrotarmos o PSDB, precisamos abrir espaços para os demais partidos que não aceitam estarem juntos dele.
Sim, o bonde da história está passando na Estação PT. E desta vez, tucanos e - pouquíssimos - aliados, iremos embarcar!
Não paramos por aí. Se conseguirmos fechar o PMDB, podem fechar o caixão e cavar para dentro!
A população está insatisfeita com esta disputa interna tucana. O projeto do PSDB se esgotou. É poder pelo poder. Das duas alas.
É. Acho que não é mais chique ser tucano em Sorocaba...

Um engove antes, outro depois

O Partido dos Trabalhadores oficializou no sábado (21) a candidatura do deputado estadual Hamilton Pereira para disputa da Prefeitura, nas eleições de outubro. Na convenção do partido, realizada pela manhã, foi anunciada a coligação com mais cinco partidos: PP, PR, PRB, PSB e PDT, todos aliados do governo Lula.

É uma aliança com adversários históricos do PT em Sorocaba, figuras como Chaves Neto, do PSB; Cláudio do Sorocaba I, do PR; Moacir Luís, do PPS; João de Andrade, do PP; entre outros.

Outros aliados, do mesmo naipe (ou pior), poderão vir.

Dizem que para engolir uma política de alianças tão ampla, a direção do PT teria distribuído engove ao militantes: um antes, outro depois da convenção. Para evitar azia.

Azia: sensação de queimação no esôfago. A dor geralmente eleva-se até o peito e pode irradiar até o pescoço e garganta. A sensação de queimação é causada pela exposição do esôfago ao conteúdo ácido do estômago.

A aliança, embora digerida com dificuldade por muitos, coloca o PT no jogo. Terá um tempo considerável de TV - tempo talvez maior que o do PSDB -, e terá várias chapas de candidatos a vereador fazendo campanha para o Hamilton. Uma vantagem inegável.

Claro que tudo isso terá um preço: participação no governo em caso de vitória. E, consequentemente, mais engove.

Ouvi de um cardeal petista: há um clima de otimismo que não era visto desde 1992.

De fato, o clima de otimismo era evidente. Apesar da azia.

Por outro lado, uma campanha não se vence apenas com coligações, tempo de TV, dinheiro e militância.

Falta, ainda, um programa de governo ousado, à esquerda, que seja capaz de fazer as pessoas sonharem que outra cidade é possível, e que desejem viver nessa outra cidade possível.

São Paulo: entre a "Rota na rua" e a segurança midiática - dois projetos fracassados

Nesses últimos 20 anos o único problema que preocupou São Paulo foi a violência. Problema muito mais da esfera estadual, mas que respaldou os programas nas eleições municipais.
Tivemos dois modelos de segurança no estado: se o Mafuf pôs a ROTA na rua, sob a alegação de que o crime tinha tomado conta da estado, o governo tucano, por outro lado, foi mestre em esconder o crime em São Paulo.

O PSDB criou estatísticas policiais falsas, onde quem é baleado e não morre na hora, vira morto de morte morrida, e assim o número de homicídios caiu; o PCC não existe, a tucanagem fez um pacto com a imprensa onde a sigla PCC, de repente, foi substituída por “facções criminosas”, como se grupo houvesse sido pulverizado; parece que toda notícia que os jornais dão é combinada com a secretaria de segurança antes.

A mídia ressalta a qualidade da perícia técnica paulista (vide Caso Isabella), mas não divulgam que um corpo caído na cena no crime, demora em média 12 horas para ser retirado do local, aguardando a liberação da polícia técnica.

Mas existe um modelo de segurança pública que pretende trata-la a partir de suas raízes - a marginalização infantil. Esta outra maneira de combater a violência é renegada pelos dois projetos dominantes. O projeto Escola da Família vinha mostrando resultados positivos na maioria das comunidades e a redução dos índices de violência aparecereram muito rápido em muitas delas; mesmo assim o governo Serra cortou o programa em 50%.
Escola da Família é o nome dado posteriormente ao projeto de lei de autoria do deputado Hamilton Pereira, o famoso "Programa de combate a violência nas escolas", que visa afastar os jovens da violência, por meio da abertura das escolas nos finais de semana para o convivio comunitário com monitores universitários bolsistas dando apoio nas atividades de esporte, lazer e cultura. Infelizmente o PSDB se opunha a abrir as escolas aos jovens (considera-os indiscrimidadamente bandidos).

Coisas sobre a segurança paulista que a imprensa não divulga:
  • A inúmeras denúncias e indícios de que polícia paulista redistribui a droga capturada aos bandidos. Que é muitíssimo comum investigadores possuírem carro importado e uma vida de burguês, que não condiz com o salário de cerca de R$ 2.000,00 por mês. (Como isso?)
  • Não se divulga que a polícia paulista sabota as investigações da polícia federal em São Paulo.
  • Quea a tortura é plenamente instituída como método interrogatório e toda a sociedade faz vista grossa. Ficamos ainda lembrando da tortura no regime militar sem nos dar conta que, ainda são basicamente os mesmos oficiais e delegados e os métodos continuam.
  • Que a polícia de São Paulo fez acordo de paz com o PCC e as periferias estão divididas em zonas de influência.

Mas o paulista esta satisfeito, aliás, só existe violência e corrupção policial no Rio de Janeiro, que não é tucano ainda.

Eu trabalho em Pronto Socorro, sempre fico sabendo o que acontece na madrugada, e as vezes tenho impressão que TVTEM, Jornal Bom Dia e o Cruzeiro do Sul, ou não tem contato nas delagacias ou estão no jogo tucano.

A velha Detroit é aqui!

21 junho, 2008

Eleitor poderá ter informações sobre candidatos na Internet

O novo Projeto de Lei dos deputados federais Paulo Teixeira e Jorge Bittar garante que candidatos e partidos possam manter sites na Internet como mecanismo de debate ou divulgação de idéias, apresentação de programas e atuação política.
A internet oferece inúmeras ferramentas de contato e interação, possibilita o engajamento cívico e o debate político. É uma alternativa popular e rápida para troca de informações: um avanço enorme para a ampliação do debate democrático no Brasil, como já acontece em vários países.

20 junho, 2008

Documento da Alstom cita propina de 8 milhões a tucanos


Documentos de promotores da Suíça obtidos pela Folha apontam que a Alstom francesa acertou o pagamento em outubro de 1997 de um suborno de 7,5% a alguém ligado ao governo de São Paulo para obter um contrato de R$ 110 milhões da Eletropaulo. O percentual da propina corresponde a R$ 8,25 milhões.

O documento que cita o percentual do suborno é um memorando manuscrito em francês atribuído a dois executivos da Alstom, Bernard Metz e André Botto. O papel traz o timbre da Cegelec, empresa do grupo Alstom, e é datado de 21 de outubro de 1997.

fonte: FSP

Aldo Rebelo será o vice de Marta

O deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP) concordou nesta quinta-feira em ser o candidato a vice-prefeito de São Paulo na chapa encabeçada pela ex-ministra Marta Suplicy nas eleições de outubro.

Aldo aceitou a proposta depois de se reunir com representantes dos partidos que compõem o bloquinho (PCdoB, PSB, PRB e PDT).

Com a aliança, Marta ganhará mais quatro minutos de tempo de TV, chegando a cerca de oito no total. Entre os seus principais adversários, Geraldo Alckmin (PSDB) tem cerca de seis minutos e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) tem cerca de nove minutos.

Novo recorde na geração de empregos: 30 milhões

O número total de empregos com carteira assinada atingiu a marca inédita dos 30 milhões em maio deste ano, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregado (Caged) divulgadas nesta quinta-feira (19) pelo Ministério do Trabalho.

Ofensiva inescrupulosa da Direita

por Fernanda Ikedo

Estou em Guararema, na Escola Nacional Florestan Fernandes, para um Seminário sobre "Criminalização da pobreza, repressão aos movimentos sociais e lutas na América Latina", com participantes latino-americanos, de diversos movimentos sociais. Hoje ouvi relatos de militantes do MST do Rio Grande do Sul que ressaltava a preocupação com a ofensiva do governo estadual, conservador e totalmente repressor. Como nos tempos da ditadura, querem tirar a legitimidade do movimento, uma clara intimidação aos militantes e uma medida de contenção social.

Leia mais em Abacoros

O segredo da acumulação... botox e maquiagem


Acabei de descobrir o segredo da acumulação primitiva do capital. Veja quanto dele foi invertido (não investido), entesourado e imobilizado, na forma de botox e maquiagem, no rosto deste indivíduo singular da comunidade sorocabana -“a deputada”.
Sem falar do Corega.

19 junho, 2008

Aos representantes do parquet

A pré-candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, foi multada na última terça-feira em R$ 42,5 mil por propaganda eleitoral antecipada por entrevistas concedidas ao jornal "Folha de S.Paulo", do grupo Folha da Manhã, e à revista "Veja São Paulo", da Editora Abril.

As empresas que veicularam as entrevistas foram multadas em R$ 21,2 mil cada, segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo.

A multa não faz sentido. Marta concedeu entrevistas à revista e ao jornal, cujo conteúdo é editado pelos jornalistas. Por sinal, quando foi anunciado que a multa era extensiva às publicações, diversas "lideranças" se manifestaram contra o "atentado à liberdade de imprensa". Nenhuma palavra sobre a pré-candidata que foi punida.

De qualquer forma, se a multa está correta, então também deve ser punido o prefeito Vitor Lippi faz campanha há meses, todas as semanas, nas rádios Cruzeiro de Sul e Jovem Pan, às quartas-feiras, quando concede entrevistas, fala de suas obras, anunciou que é candidato a reeleição e faz campanha de forma explícita.

Mais grave: segundo Carlos Veloso, ex-presidente do TSE, o rádio e a TV são concessões públicas; a revista e o jornal, não. Dessa forma, Marta não poderia ser punida, a não ser que tivesse feito uso de programas de rádio ou TV. Exatamente o que o prefeito Vitor Lippi fez.

Deve ser punido o candidato Lippi e as rádios Jovem Pan e Cruzeiro do Sul, multados com o rigor da lei.

Caso contrário, ficará demonstrado que a Justiça não brilha para todos da mesma forma.

Com a palavra nossos ilustres representantes do parquet, que agirão, certamente, da mesma forma que seus colegas, autores da representação contra Marta.

Ou deixarão claras suas simpatias tucanas.

18 junho, 2008

Fudeu, o DEMOCRATAS exige ficha limpa de seus candidatos

Os DEMs (Demos), antigo PFL, Ex-Arena, estão exigindo que seus candidatos nas próximas eleições tenham a ficha policial limpa. A orientação foi dada pelo diretório nacional do partido.

Poxa, eles avisam só agora!

A mesma determinação já havia sido feita em 2006, mesmo assim Natalino foi eleito deputado estadual no Rio de Janeiro, foi aceita acusação contra ele, por liderar milicias na zona oeste da cidade.

O que esse monte de pré-candidato vai fazer agora? não dá mais para mudar de partido, o prazo acabou.

Paulo Teixeira coordena Diálogo sobre Energia Eólica


O Banco do Nordeste promoveu no dia 16 de junho, em Fortaleza, o DIÁLOGO SOBRE ENERGIA EÓLICA.


A iniciativa da realização do evento partiu do Deputado Federal Paulo Teixeira, presidente da Subcomissão de Energia Renovável, Conservação e Reúso da Água.
O Brasil possui um enorme potencial eólico pouco aproveitado.


Segundo o Atlas do Potencial Eólico Brasileiro, elaborado pelo Cresesb (Centro de Referência em Energia Eólica), o país tem condições de gerar 272 TWh/ano. Ou seja, o triplo da energia que produziu a usina de Itaipu no ano de seu maior rendimento e quase o equivalente ao consumo total de energia no país, que é de 292 TWh/ano.

Segurança Jurídica ("Pacta Sunt Servanda")

Título do artigo publicado hoje no Jornal Cruzeiro do Sul, pelo Juiz Titular da 6ª Vara Cível de Sorocaba, Dr. Ivan Albuquerque Doretto.
Recomendo a leitura, embora discorde dos fundamentos concernentes ao mundo globalizado, referindo-se a quem pensa diferente como: "os passadistas mumificados pelo sectarismo idelógico".
Globalização não se pode confundir com norte-americanização mundial ou imperialismo.

17 junho, 2008

Índios escreverão livros didáticos.

Escolas indígenas do ensino médio e fundamental, em 18 Estados do país, receberão até o fim de julho, livros produzidos por educadores índios com o objetivo de valorizar e promover a cultura das várias etnias no país.
Formados pelos cursos de magistério intercultural, promovidos pelo Ministério da Educação (MEC), onde aprendem além das disciplinas comuns, noções de antropologia, linguística e cultura dos povos tradicionais, professores indígenas encaminharam para a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade ( SECAD), um total de 64 livros, dos quais, 42 foram selecionadas e serão utilizados nas escolas das aldeias .
Com tiragem entre mil e dez mil exemplares, as obras em línguas maternas, portuguës ou bilingue, abordarão temas como meio-ambiente, cultura, história e lendas indígenas, além de geografia, economia, literatura, matemática, aplicados à realidade dos alunos.
A produção gráfica será coordenada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).Custeadas pelo MEC que dispenderá neste ano R$ 6,3 milhões para a iniciativa, a previsão é a distribuição dos 42 livros pelas secretarias estaduais de educação até o final do ano. Destas obras, 17 títulos serão encaminhados até julho, para escolas públicas de aldeias do Mato Grosso, Amazonas, Amapá, Pernambuco e Maranhão.
Dados do Censo Escolar publicados no site da SECAD indicam a existência de 2.324 escolas em território indígena, para uma população de 164 mil estudantes. Nestas instituições, há cerca de 9.100 professores, 88% deles indígenas.

Frente pela Reforma Urbana

Dia 20 de maio ocorreu reunião da Frente Parlamentar pela Reforma Urbana, organizada pelo seu presidente, o deputado federal Paulo Teixeira.
A mesa foi formada pelos deputados Paulo Teixeira, Zezéu (vicepresidente) e Fernando Chucre (presidente da Frente Parlamentar pela Habitação); por Regina Ferreira da Fase; Benedito Barbosa da Central de Movimentos Populares e Antônio José do Movimento Nacional de Luta por Moradia.
Na ocasião o Fórum Nacional da Reforma Urbana apresentou uma proposta de elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), vinculando, durante o período de 30 anos ou até a eliminação do déficit habitacional crítico, 2% do produto da arrecadação anual da União dos impostos, das contribuições sociais e de intervenção no domínio econômico já instituídos ou que vierem a ser criados ao Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS).


Assim como os Estados, o Distrito Federal e os Municípios vinculariam no mínimo 1% das suas receitas anuais, resultantes dos impostos arrecadados aos Fundos Estaduais e Municipais de Habitação de Interesse Social.
O deputado federal Paulo Teixeira acredita que a moradia é um direito constitucional das pessoas, por isso assumiu o compromisso de encaminhar esta demanda, pela Frente Parlamentar pela Reforma Urbana, e ainda propôs que o lançamento da proposta aconteça no dia 18 de junho, quando também ocorrerá uma audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara.
Outro tema da reunião foi o PL 3.057/2000, o qual altera os dispositivos da legislação de parcelamento do solo e introduz normas sobre a regularização fundiária sustentável de áreas urbanas.
Os participantes da reunião propuseram a realização de seminários regionais para que o Projeto de Lei seja mais divulgado e discutido, e que os pontos polêmicos sejam reavaliados.

Esporte, Lazer e o modo petista de governar.

Quando observamos a maneira como o Esporte e o Lazer são tratados em nossa cidade, concluímos entristecidos, que não são prioridades do PSDB.
Dessa forma, o modelo é negligente, independente de quem o gerencie.

Há mais de uma década não são construídos novos Centros Esportivos. Os que existem, encontram-se em deplorável estado. Quanta falta faz o Centro Olímpico tão prometido! Sorocaba não possui nenhuma piscina pública. E os nossos campos de futebol?

É a visão neoliberal imposta: é a iniciativa privada – e tão somente ela - que deve contribuir para o fomento do Esporte e do Lazer. Foi assim que o PSDB deixou de contribuir com o nosso querido Esporte Clube São Bento. Amado pela imensa maioria da população e, até hoje, o maior cartão postal de nossa cidade. O mesmo raciocínio foi seguido com as equipes de representação. Os líderes de bairro, ligados ao esporte e ao lazer, também sofrem!

Ampliar os espaços de decisão.

Este é o grande mote do modo petista de governar. Transferir poder ao povo. Sempre.

Faz-se necessário, em nossa cidade, a criação do Conselho Municipal do Esporte e do Lazer. Representado por todos os segmentos: esporte de representação, de base etc.
Uma ação como esta, em parceria com o Orçamento Participativo, fará com que nossa cidade se torne pujante no Esporte e no Lazer. Não passaremos mais vexame em competições regionais.

Sugestões como o “ônibus-brincalhão”, sucesso na Prefeitura de Porto Alegre, implantado, inicialmente, pela atual Secretária Nacional de Esportes e Lazer, Rejane Penna Rodrigues, quando Secretária de Esportes da Prefeitura gaúcha, traz lazer aos cidadãos. Um ônibus adaptado, com brinquedos, livros e jogos, que vai aos bairros sempre que solicitado por associações de bairros ou outras entidades.
Ressalte-se que, no ano seguinte, a pedido da população, através do Orçamento Participativo, a Prefeitura de Porto Alegre criou mais um “ônibus-brincalhão”.

É assim que o PT pretende governar Sorocaba. Dialogando com as pessoas. Colocando o Esporte e o Lazer em sua agenda de prioridades. Opondo-se, todavia, à concepção neoliberal que contaminou a administração pública sorocabana.

16 junho, 2008

CUT CURTAS 10


Não foram


Além do casal Renato/Maria Lúcia Amary, foram notadas as ausências de muitos outros convencionais tucanos no encontro do PSDB no último domingo, todos ligados ao ex-prefeito. O racha se aproxima, embora Lippi, Pannunzio e Luiz Leite, entre outros, estejam falando em unidade do partido. O grupo de Amary deve desembarcar em outra candidatura. Resta saber o que este grupo fará depois das eleições, pois Renato e Maria Lúcia têm mandatos e correm o risco de perdê-los caso mudem de partido.


Rei do veto

Só nas duas primeiras semanas de junho, o governador José Serra (PSDB) vetou 19 projetos aprovados pelos deputados da Assembléia Legislativa de São Paulo. Entre eles, o que isenta da cobrança de ICMS os consumidores até 220 kWh mensais de energia elétrica; o Programa Estadual de Assessoria Técnica à habitação de Interesse Social; o que limita a emissão de enxofre proveniente do óleo diesel comercializado no estado e o que estabelece abatimentos no IPVA para quem paga pedágios. Há pouco tempo, Serra também vetou o Promedula, projeto do deputado Hamilton Pereira aprovado pela totalidade dos deputados estaduais.E o governador tecnocrata ainda se arroga grande defensor da democracia, mas não respeita o Poder Legislativo.


Investimentos do governo federal

Folha de S. Paulo, Cruzeiro do Sul e Bom Dia publicaram matérias equivocadas sobre investimentos do governo Lula em Sorocaba. Na verdade, o Cruzeiro copiou levantamento da Folha e o Bom Dia, no embalo, errou nas contas. O presidente do PT sorocabano, Paulo Henrique Soranz, em nota e entrevistas, criticou os erros. O jornalista e professor João José Negrão, no blog www.azesquerda.blogspot.com também indicou como e onde os veículos se atrapalharam, por equívocos ou má intenção, ao tratar os números do governo federal.


Clara Ant

Na mesma linha, a assessora especial da Presidência da República, arquiteta Clara Ant, em palestra no Sindicato dos Condutores, destacou as políticas econômica e social do governo Lula, pautadas pelo crescimento e ampliação da justiça social, para diminuir as desigualdades entre pessoas e regiões. Recorde na geração de empregos, redistribuição de renda e o Brasil como o novo global player no cenário mundial – tudo com números incontestáveis – foram a tônica de Clara. Petistas da região, incluindo o deputado Hamilton Pereira, pré-candidato do partido à Prefeitura, lotaram o auditório do Sindicato.


Vai em paz

Uma grande figura nos deixou na semana passada. Vítima de complicações por conta de um aneurisma, morreu aos 83 anos o ex-vereador e militante comunista João dos Santos Pereira. Sua coerência, dedicação e alegria de viver – estava sempre sorrindo --, sem qualquer ranço de amargura, mesmo tendo penado nos 11 dias em que esteve preso no DOI-CODI, são exemplos para as jovens gerações.

15 junho, 2008

Lula é de esquerda


Em entrevista ao Jornal do Brasil, o presidente Lula disse que se considera jovem aos 64 anos e que pretende viver ainda muitos anos. Segundo Lula, "com o prestígio do Oscar Niemeyer e com a peraltice da Dercy Gonçalves."

Falta pouco, companheiro. Muito pouco.

Em tempo (e mais importante): Lula também disse "Eu sou cada vez mais torneiro mecânico. Nunca gostei de andar com rótulo na testa, que sou isso ou aquilo. Obviamente que todo mundo sabe da minha origem, da minha vida pública, e que eu me considero um homem de esquerda."

14 junho, 2008

Adeus ao ex-vereador comunista de Sorocaba, João dos Santos Pereira

Por Fernanda Ikedo
O ex-vereador de Sorocaba João dos Santos Pereira, 83 anos, morreu no último dia 12 (Quita-feira) na Santa Casa, por volta das 20h. Ele estava se recuperando de um aneurisma (AVC), ocorrido há duas semanas, mas seu estado de saúde piorou, foi levado ao hospital, mas não resistiu.

Natural de Capivari chegou a Sorocaba em 1949, trabalhou em diversas indústrias do setor têxtil, sempre atuando no movimento sindical e lutando por melhores condições de trabalho para a classe trabalhadora. Era membro do Partido Comunista (PCB) e foi eleito vereador em 1968, pela legenda Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Em 1975, durante a ditadura militar, devido suas reivindicações por liberdades e sua atuação no movimento operário, Pereira, assim como outros colegas de partido, foi preso em sua casa e levado para o DOI-CODI em São Paulo , onde sofreu torturas por onze dias. Já em liberdade continuou exercendo mandato de vereador até 1978.
João dos Santos Pereira era viúvo e deixa seis filhos, 18 netos e 13 bisnetos.
Seu corpo foi enterrado ontem no Cemitério Memorial Park.
_____________________
Este sim é um homem de muita honra que merece registro para a memória histórica da cidade. Não esta horda de ex-integralistas e colobaradores de regimes ditadoriais que vêm figurando em nomeações de ruas, avenidas e viadutos de Sorocaba.

12 junho, 2008

Renato Amary desiste. E admite: fui corneado.

O deputado Renato Amary anunciou, há pouco, que desiste de sua candidatura a prefeito.

Amary jogou a toalha após receber uma mensagem do governador José Serra, no melhor estilo Don Corleone, do tipo "vou fazer uma oferta que ele não poderá recusar".

E reconheceu: "fui corneado".

Amary diz em carta dirigida "À População", que seu único amor era Luiz Leite, que teria sido cassado de forma torpe por seus adversários.

Alega que Lippi não venceu no primeiro turno porque se acovardou no debate e só foi eleito porque ele, Amary, apelou ao povo pedindo que votassem em Lippi, como se fosse Amary. No melhor estilo Maluf.

Depois, Lippi foi "mudando o comportamento".

O que isso significa? Passou a chegar tarde em casa? Com perfume de outro homem? Marca de batom do Crespo?!

Amary está "indignado com a ingratidão de todos aqueles em que um dia acreditei".

Móóóó.

Atendendo ao apelo do Serra - Capo Di Tutti Capi -, Amary seguirá como presidente do Instituto Teotônio Vilela.

Hilário! Ele pretendia se tornar Secretário de Estado, acreditava ser imbatível em Sorocaba e recebe, como prêmio de consolação, a Presidência do Instituto Teotônio Vilela! Sensacional!

Humilhação maior só se fosse nomeado "administrador de próprios" pelo Lippi. Comandante-en-Jefe do Cemitério da Saudade.

Amary encerra dizendo "A traição e a deslealdade não fazem parte das tradições da nossa terra."

De fato. Bacaroço é uma terra de muares, não de chifrudos.

Carta de Amary à "População"

Carta à População:

Sorocaba é uma das cidades paulistas responsáveis pelo crescimento do PSDB. São quase doze anos que o nosso partido governa o município. Temos dois deputados federais e um estadual, além dos nossos vereadores e milhares de militantes.

Tive a honra de ser prefeito de Sorocaba por duas vezes, sendo a segunda eleito já no primeiro turno. Mais gratificante ainda ver o reconhecimento dos nossos esforços através da eleição do meu sucessor. Foi uma campanha difícil. Muito difícil. Meu candidato era Luiz Leite, brilhante secretário em duas administrações e um dos responsáveis pelos grandes avanços de nossa cidade. Mas foi cassado. De forma torpe, vítima da sanha dos nossos adversários.

Entreguei-me a campanha ainda com mais afinco, pois sabia que havia resistências ao novo nome em diversos setores da população. Fui para a televisão inúmeras vezes, pedi aos que resistiam que se queriam votar em mim, meu nome naquela eleição era o do atual prefeito.

Não ganhamos no primeiro turno, infelizmente, porque o meu candidato, no debate da TV Tem, não conseguiu conter seu descontrole diante das graves acusações, feitas pelo nosso principal adversário. No segundo turno a nossa vitória foi esmagadora, apesar de termos contra nós quase todos os ex-prefeitos de Sorocaba.

Pouco tempo depois de assumir, inexplicavelmente, o atual prefeito foi mudando o comportamento. Os que tanto se empenharam pela sua eleição, passou a perseguir. Trocou-os por adversários, que passaram a ser os mentores da atual administração. Pessoalmente nunca fui chamado para discutir política ou o rumo de nossa cidade.

Para atender aos adversários de ontem, o atual prefeito deu as cabeças de secretários e tantos outros assessores que trabalharam para o crescimento de nossa cidade. Buscou apoio de quem fez contra ele as mais sérias acusações, desestabilizou-o emocionalmente, jogou lama na sua família.

Não posso pactuar de uma política realizada a qualquer preço, que privilegia grupos, incoerente com os princípios éticos que sempre defendi.

Sou do PSDB. Sou vice-líder do partido, membro titular e coordenador do PSDB na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, presidente da Frente Parlamentar de Desenvolvimento Vocacional dos Municípios e presidente do Instituto Teotônio Vilela, de São Paulo. Deputado federal e duas vezes prefeito e deputado estadual. Sou tucano.

Sorocaba é a razão da minha luta. Esta é a minha terra, o meu povo, o meu chão. O motivo pelo qual entrei na política.

Não serei mais candidato a prefeito. Abro mão da minha candidatura para não expor à perseguição todos aqueles que ajudaram a construir a Sorocaba de hoje. Quero que esta minha atitude seja compreendida, principalmente pelo povo, que me conhece e sabe que jamais tomaria essa decisão se não fosse absolutamente necessária.

Sinto-me indignado com a ingratidão de todos aqueles que um dia acreditei. Os mesmos que se desviaram do caminho que juntos trilhamos.

Deixo de ser candidato a prefeito, mas não abandono a luta por meu partido, minha terra e minha gente. A lealdade será sempre minha bandeira. Somo a essas razões a solicitação dos prefeitos da região e, em especial, o apelo do governador José Serra.

Sorocaba não merece o que estão fazendo com ela. A traição e a deslealdade não fazem parte das tradições da nossa terra e da nossa gente.

Renato Amary, "O Coiso", pedindo pra sair

Carta de Serra ao deputado Renato Amary

Caríssimo amigo Renato Amary:

O prazo para registro das chapas com vistas à Convenção Municipal do PSDB de Sorocaba está prestes a expirar .Você vem arregimentando forças entre nossos companheiros para, legitimamente, disputar a indicação do Partido à candidatura a Prefeito.

Permita-lhe dirigir-lhe apelo para que não o faça.Você já marcou a história de sua cidade em duas gestões consecutivas cobertas de êxito e amplamente reconhecidas pela sua qualidade.

Hoje você cumpre o mandato de deputado federal que o povo de Sorocaba e da Região lhe conferiu. Vem fazendo um excelente trabalho na Câmara. Penso que você poderá ser mais útil, nesse momento, à sua cidade e ao Estado no desempenho dessa nova missão, ao invés de refazer um caminho já percorrido. Em pouco tempo de mandato federal você já demonstrou sua grande capacidade de articulação política.

Quero continuar contando com sua colaboração em Brasília, como tenho contado com o apoio da Maria Lucia na Assembléia.É preciso lembrar, também, que à frente da secção paulista do Instituto Teotônio Vilela você tem muito a contribuir para o fortalecimento do nosso Partido, especialmente no campo das idéias.

Peço-lhe que reflita sobre essas ponderações que tomo a liberdade de lhe fazer.

Esteja certo da estima do


José Serra.

Trocando em miúdos: pede para ir ao banheiro e sai.

Esse é o PIG - Partido da Imprensa Golpista

O Jornal Brasil, no dia 09/06/08, publicou a denúncia abaixo:

Mais uma denúncia de corrupção "abalando" o "governo do PT". Ocorre que Yeda Crusius é do PSDB. Tucana da gema. E seu governo, comprovadamente corrupto. Quem afirma isso é o vice-governador, Paulo Feijó, do DEM, que chegou a gravar ofertas de dinheiro em troca de "colaboração".

A reação do DEM? Pretende punir Paulo Feijó.

fonte: blog do Luiz Carlos Azenha

E nós, o que faremos com o Jornal do Brasil?

Os bons frutos e a ousadia.

(Marquinho: sãopaulino fanático!)

Em 2005, completava meu segundo mandato a frente do Centro Acadêmico Rubino de Oliveira, da Fadi. No primeiro ano, jovens meios ressabiados. Haveria trote?!?! Bagunça??? Festas???
Nunca fui adepto a dar trotes. Confesso, inclusive, que nunca dei trote em ninguém. E não carrego qualquer frustração.

Como no ano anterior, reuni minha diretoria do C.A., e visitei a sala do primeiro ano diurno. Dei boas-vindas e os presenteei com o kit calouro: camisa, caneta etc.
Todos ficaram muito felizes.
Um desses alunos, dias depois, convidou-me a comparecer em um churrasco de sua turma. Chamava-se Marco, o Marquinho. Bem jovem, aproximou-se de mim após ter entrado em sua sala e, publicamente, tecer críticas ao Diretor da época, em virtude de sua postura conservadora, censurando a vinda de um palestrante do PT na Faculdade.
Lembro-me que saí aplaudido da sala. Senti claramente que estava numa classe com um bom caldo progressista. E o Marquinho era um destes... Senão o melhor. O mais comprometido.
A Fadi, por sua vez, sempre foi uma instituição ideologicamente conservadora, de direita. Criada em meio à Ditadura Militar, seus principais dirigentes eram ideologicamente conservadores. Alguns políticos de nossa cidade, como Crespo e Amary, saíram de lá. E, tenho para mim, que os pensamentos ideológicos sempre influenciam qualquer que seja o ambiente. Portanto, não era fácil ser petista - de estrelinha - na Fadi.

João Vitor e Marquinho: ambos filiados ao PT


Bem, neste churrasco, conversei muito com o Marquinho. Percebi que era um aficionado por política. Durante o período mais difícil da história do PT, manteve-se fiel ao partido. Com o tempo, participou de várias reuniões que eu organizava para discutir política. Decidiu se filiar ao PT, e se tornou um daqueles grandes militantes que só o PT tem.


Em 2006, deixei à Faculdade. O Marquinho permaneceu. Prestou concurso para trabalhar no Juizado Especial Cível (JEC), que através de convênio junto à Fadi, cede espaço físico e dá bolsa de estudos aos estagiários.

Ano passado, os estagiários do JEC tiveram dificuldades de permanecer com a bolsa de estudos. Inexplicavelmente, a Faculdade tomou a decisão de cortar.
Este ano, junto com outro amigo, que também pertence ao C.A., e com boa visão progressista, foram, por diversas vezes, conversar, tentando retornar com a bolsa de estudos.
Entre idas e vindas, compromissos descumpridos; tiveram a derradeira conversa recentemente, onde, sob a coordenação do Marquinho, os estagiários do JEC decidiram entrar em greve.
Marquinho beijando o símbolo do São Paulo e eu, corinthianíssimo!



Greve dentro da Fadi?
Sim, com faixa e material explicativo!
Algo jamais visto! Imaginado! Tolerado!
Pois, democracia!

Diante disso, a discussão foi parar no Conselho da Fundação Educacional Sorocabana, mantenedora da Fadi. Marquinho teve de fazer sustentação oral em sua defesa e de seus companheiros. O C.A. também compareceu, manifestando apoio à greve.

O Conselho, então, decidiu por maioria, autorizar a negociação. A Direção queria dar 10%, mas com o aval do Conselho, a bolsa de estudos retornou, no valor de 20%.

Quando observei a postura do Marquinho, fiquei emocionado. Sei que não é fácil fazer o que ele fez, ainda mais dentro da Fadi. Poucos - mas bem poucos mesmo - teriam este tipo de coragem.

É o senso aguçado de justiça. É a capacidade de se indignar.

Marquinho, saiba que você é um daqueles companheiros imprescindíveis na luta!
É um privilégio poder ser seu amigo!!!

10 junho, 2008

Os bodes afiam os cascos

O jornal Cruzeiro do Sul anunciou, na edição de hoje (10/06), que o governo federal havia investido pouco mais de um milhão de reais na em Sorocaba. Segundo a matéria, a cidade estaria entre as que menos receberam recursos do governo Lula.

A fonte de tal informação é o jornal "Folha de São Paulo", que teria feito o levantamento com base em dados do Portal Transparência.

Trata-se de uma inovação: o jornalismo google. Um jornalista preguiçoso procura uma informação na internet, joga numa planilha excel e está apto a fazer considerações "científicas" sobre a realidade brasileira.

Esse tipo de procedimento apenas comprova que o referido portal Transparência ainda é falho na centralização de dados do governo.

Se é reprovável que a Folha divulgue informações incorretas sobre o investimento federal em nossa cidade, o que dizer do Jornal Cruzeiro do Sul, jornal de Sorocaba, onde é do conhecimento até do mundo mineral que o investimento federal apenas na construção do câmpus da UFSCAR é dez vezes maior que o divulgado como sendo o "total do investimento federal em Sorocaba".

Repito: apenas a construção da UFSCAR representa mais de dez vezes o total do valor que o jornal alega ter sido investido em Sorocaba.

E mais. Em agosto do ano passado, o então diretor do SAAE, Pedro Dal Pian Flores, queixava-se do atraso do repasse de cerca de 20 milhões de reais para as obras de despoluição do rio Sorocaba.

20 milhões de reais: uma das "parcelas" do investimento federal para despoluir nosso rio.

E, para o jornal, o investimento, desde 2005, não passa de pouco mais de 1 milhão de reais.

Isso sem contar os milhares - isso mesmo, milhares - de pessoas beneficiados com o bolsa-família, com o PróUni e outros programas.

Não se trata de um "engano".

Na segunda-feira (09/06), o jornal da rádio Cruzeiro, ligado ao mesmo grupo que publica o jornal Cruzeiro do Sul, repercutiu matéria do site "Congresso em Foco" sobre o grande número de parlamentares que respondem a inquérito ou são processados perante o STF. Concluíram a matéria dizendo que "nenhum parlamentar de Sorocaba consta da lista do site Congresso em Foco".

Consta sim. O deputado Renato Amary (PSDB) responde a inquérito por crime contra a administração pública, por firmar diversos contratos sem licitação, beneficiando a empresa Pratic Service. Veja aqui.

O jornal também não repercutiu a gafe monstruosa do deputado Pannunzio, também tucano, que "derrubou" um avião para fazer política de baixo nível.

Diante disso tudo, sou levado a crer, com tristeza, que o jornal Cruzeiro do Sul se tornou o porta voz quase oficial do tucanato local.

É uma pena. 100 anos de história para acabar assim.

09 junho, 2008

CUT CURTAS

“Encino” de mal a pior

Que vergonha. O governo Serra – que junto com seus antecessores tucanos levou a escola pública paulista a níveis de excrescência – distribuiu material didático. Os livros de Inglês vieram com a palavra “encino”, em vez de ensino. Com certeza, a Secretária Maria Helena Guimarães de Castro vai dizer – como sempre – que a culpa é de algum professor.


Tucana balança no poleiro

E a governadora tucana do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, que já foi ministra no governo FHC, está a menos de um passo de ser cassada. Uma rede de corrupção brava, que operava a partir do Detran gaúcho e desviou mais de R$ 44 milhões para campanhas eleitorais, já derrubou cinco integrantes do primeiro escalão de Yeda: Delson Martini, secretário-geral de governo; Marcelo Cavalcante, chefe do escritório do Estado em Brasília; coronel Nilson Bueno, comandante-geral da Brigada Militar; José Luiz da Rocha Paiva, diretor de obras do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem; e César Busatto (PPS), ex-chefe da Casa Civil.


Terceirização do Lippi

O Procurador do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região, João Batista Martins César, está pegando no pé do prefeito Vitor Lippi por conta da terceirização de serviços públicos na Prefeitura.


Ninho tucano

Domingo é dia de decisão no ninho tucano. Entre mortos e feridos na carnificina, a dúvida é saber se alguém se salvará. Cada uma das forças está ensarilhando suas armas. Aliados potenciais dizem que vão com um, mas não vão com outro. O certo é que, passada a convenção, mais cedo ou mais tarde vem um racha no PSDB sorocabano.


Vai chegar em Amary?

A CPI do Mercado, na Câmara de Sorocaba, já chegou no primeiro escalão do governo Amary: foi aprovada a convocação para depoimento de Carlos Levy, que foi o Secretário da Administração na gestão passada. Dependendo das informações e do andamento das investigações, pode ser que, em breve, quem tenha que depor seja o próprio ex-prefeito, para explicar as maracutaias em que se envolveu.


Feijoada animada

Mais de 600 pessoas participaram da tradicional feijoada do PT deste ano, realizada domingo passado no Sindicato dos Metalúrgicos. Entre um prato e outro, rolaram soltas as articulações para a formação de grupos de apoio dos candidatos a vereador e da candidatura do partido à Prefeitura de Sorocaba, a do deputado estadual Hamilton Pereira. A animação era grande e o clima de fraternidade, geral. Como o PT está muito unido, tudo é só alegria.

Tudo pode acontecer...


Sorocaba produz uns fenômenos jamais vistos em outras partes do nosso Brasil varonil.
Aqui, é chique ser tucano. Parece uma grife.
A maior parte da classe psdbédia (mas que se sentem ricos) sorocabana diz, de boca cheia, que vota no PSDB.
Há ainda aqueles, das classes mais psdbaixas (que acham que são psdbédias), já não em grande quantidade, que também declaram votos no PSDB, embora constrangidos, em virtude da imensa aprovação do Governo Lula nestes extratos sociais.
O interessante destes que enxergam "chiqueza" em ser tucano, especialmente na classe psdbédia - e que querem ser gentis com os petistas - é a maneira como reagem à declaração de um sujeito da classe média, como sendo petista.
Inúmeras vezes passei por esta situação. O indivíduo faz uma crítica ao PT, ao Lula, e te pergunta se concordas. Quando da inesperada e surpreendente resposta, faz uma cara de nojo, imediatamente alterada com um sorriso, acompanhada da mais manjada resposta:
- Eu sempre voto no Suplicy!
Então, a conversa prossegue... Mas este indivíduo nunca mais olhará para ti da mesma maneira. Como se tivesse sido marcado com brasa, tal qual um gado.
O fato é que, se em Bah!Caroço, surgisse a PSDB Store ou a Tucano Moda Fashion, quebraria toda a caterva de Le Fiacres e genéricas existentes.
Sorocaba consegue ter militância tucana: gente que, gratuitamente, defende e pede votos ao PSDB. Dá pra acreditar?!?!
Mas já foi pior! O Governo Lula reverteu boa parte deste pensamento hegemônico. Ainda não o bastante, entretanto, há como sobreviver. Assistimos, com pipoca na mão, a disputa no ninho tucano, baseada no poder pelo poder: quem tá fora, quer entrar...
Observamos secretários "caindo" em detrimento de "realinhamento político". Nem o apoio do deputado-que-derruba-avião-que-não-cai, em troca de um vice com um pé na Arena, revolta o cidadão sorocabano. Semana que vem saberemos quem será o candidato tucano.
Eu tenho esperança! Isto vai mudar! Espero que seja no próximo processo eleitoral. Com a vitória do PT.
Ademais, lamento informar que não estou num diário de bordo de minha imaginação.
Tampouco sou Lucas Silva e Silva.
Mas aqui em Sorocaba...
Ah...
Tudo pode acontecer...

08 junho, 2008

Cultura Alternativa Sorocabana: descaso

Fui a um encontro de músicas alternativas, hoje, a convite do meu amigo Cleiner. No antigo Bier Garten, em Sorocaba.
Uma banda chamou-me bastante atenção: X-4. A banda combinava Hard Core com Hip Hop.
Impressionante!Ficou muito bom!
As bandas de músicas alternativas não são prestigiadas em Sorocaba. Assim como a Cultura, em sentido amplo. Sempre que me proponho a discutir estas questões, questiono o modelo de administração.
No Brasil, temos o hábito de personalizar as culpas, quando, no caso, a maneira de pensar dos "capitães" deste governo tucano de Bah!Caroço, não cabe a priorização deste setor.
Além da Cultura, o Esporte também sofre!
Mas já que o assunto é Cultura, gostaria de parabenizar meu amigo Marcio Brown. Ele acabou de lançar um Documentário sobre o Hip Hop em Sorocaba, patrocinado pela Linc (Lei de Incentivo a Cultura). Foi na Uniso. Infelizmente não pude ir, pelas fotos que vi, estava lotadíssimo!
A cultura hip hop é uma das mais fantásticas que pude conhecer. Recentemente, participei do lançamento do Documentário "É tudo nosso!", de Toni C, financiado pelo Ministério da Cultura, no Clube 28. Naquela oportunidade, a Nação Hip Hop organizou a atividade.
Muito bom!

07 junho, 2008

Dez motivos para reduzir a jornada

A redução da jornada de trabalho sem redução de salários, uma aspiração histórica da classe trabalhadora, entrou para a ordem do dia em nosso país. As centrais sindicais estão unidas em defesa da Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de autoria dos senadores Paulo Paim (PT-RS) e Inácio Arruda (PCdoB-CE), que diminui a jornada semanal das atuais 44 horas previstas na Constituição para 40 horas num primeiro momento e 36 horas posteriormente. Os argumentos patronais contra a iniciativa não são razoáveis. É possível enumerar pelo menos dez bons motivos para reduzir a jornada sem diminuir o valor real dos salários:

1 - O avanço da produtividade do trabalho permite à sociedade produzir os bens e serviços de que necessita para satisfazer as necessidades e demandas sociais trabalhando cada vez menos ou, em outras palavras, com jornadas bem menores. O economista Márcio Pochmann, presidente do IPEA, estima que, hoje em dia, uma jornada de 12 horas semanais seria suficiente para produzir a mesma riqueza que produzimos com uma jornada legal de 44 horas, desde que houvesse pleno emprego. Estamos reivindicando uma jornada mais modesta, de 40 horas semanais, como um primeiro passo neste sentido;

2 - A experiência nos ensina que, no sistema de produção capitalista, a automação crescente invariavelmente resulta no desemprego em massa, se não for acompanhada da redução da jornada de trabalho. No Brasil, apesar da melhoria do mercado de trabalho no governo Lula, ainda existe um contingente de aproximadamente 10 milhões de desempregados e uma multidão ainda mais numerosa de subempregados. Queremos a redução da jornada para combater o desemprego e a informalidade. Confiamos na estimativa do DIEESE de que a instituição das 40 horas semanais vai gerar mais de 2 milhões de novos postos de trabalho, se for acompanhada de uma regulação mais restritiva das horas extras e do banco de horas;

3 - Queremos a redução da jornada para ampliar o tempo livre da classe trabalhadora, tempo que poderá ser dedicado à família, ao lazer, ao descanso ou a outra finalidade qualquer, livremente definida pelo (a) trabalhador (a). Quem trabalha merece usufruir dos benefícios criados pelo trabalho e pelo avanço da produtividade. A vida não se resume ao trabalho. O lazer e a liberdade de usufruir os prazeres da vida não podem ser privilégios dos ricos;

4 - Queremos a redução da jornada para elevar o nível de escolaridade e a educação da classe trabalhadora brasileira. Advogamos a idéia de que o tempo liberado pela redução da jornada também pode e deve ser ocupado no estudo. Isto vai contribuir para elevar a produtividade do trabalho, a competitividade da economia e o PIB nacional;

5 - Queremos a redução da jornada para promover o crescimento da economia brasileira. A elevação do nível de emprego e dos salários vai fortalecer o mercado interno, ampliar o consumo e estimular os negócios no comércio e na indústria;

6 - Queremos a redução da jornada para aumentar a participação da renda do trabalho no PIB, através do aumento dos salários reais por hora e do nível de emprego, de forma a reverter o processo perverso de depreciação da força de trabalho brasileira, refletida na substancial redução da participação dos salários no PIB verificada ao longo dos últimos anos;

7 - Queremos a redução da jornada para ampliar a oferta de emprego no mercado formal e reduzir a informalidade e a precariedade crescente dos contratos e das relações entre capital e trabalho;

8 - Queremos a redução da jornada pelo bem do Brasil, como uma iniciativa fundamental compreendida num novo projeto de desenvolvimento nacional, fundado na soberania e na valorização do trabalho. O crescimento da produção e o desenvolvimento devem servir aos interesses da maioria e não apenas à maximização dos lucros capitalistas, que muitas vezes é obtida em detrimento do emprego e das condições de vida da classe trabalhadora;

9 - Queremos a redução da jornada porque é uma aspiração histórica justa da classe trabalhadora e uma tendência objetiva decorrente do avanço da produtividade do trabalho;

10 - Queremos a redução da jornada sem redução de salários porque é uma bandeira que unifica o movimento sindical e popular e está afinada com os interesses e os anseios do povo brasileiro.

Wagner Gomes - Presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)

Barak Obama e o software livre - preocupação com o Brasil

Barak Obama, candidato democrata à presidência do EUA elegeu o OpenOffice.org como a ferramenta de escritório do governo federal, caso ele se eleja.

Também disse, com relação ao uso de software livre na educação:

"Brasil, um país com grande previsão e liderança, padronizou o software livre em suas escolas. Isso significa que 100 milhões de estudantes no Brasil terão vários anos a mais de experiência usando software livre que os estudantes nos Estados Unidos. Num competitivo mercado mundial planificado, as escolas nos Estados Unidos não podem ter recursos para ser deixados para trás como isso."

06 junho, 2008

Qualidade de "encino" em São Paulo


A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo distribuiu apostilas para os professores da rede pública de ensino com um erro de português. No caderno de dicas entregue aos mestres de inglês da oitava série, a palavra ensino está grafada "encino".

A assessoria de imprensa da secretaria alegou que a própria pasta identificou o equívoco e o comunicou aos professores. E que a grafia incorreta ocorreu por um erro de impressão.

fonte: Agência Estado

Não foi um erro de impressão: foi um erro de digitação. O povo paulista digitou o voto errado nas últimas eleições.

05 junho, 2008

Serra é condenado por plágio


O PSDB foi condenado a pagar indenização de R$ 110 mil ao autor da música “Lula lá”, Hilton Acioli, por ter usado tema musical, sem autorização, na campanha de José Serra à presidência da República em 2002. Para o juiz Vitor Frederico Kümpel, da 27ª Vara Cível Central de São Paulo, houve violação dos direitos patrimoniais do autor da música. O partido pode recorrer da decisão.

Hilton Acioli sustenta que os marqueteiros do PSDB se valeram da fama da música, criada a pedido do PT na campanha de Lula em 1989, para valorizar a campanha presidencial de José Serra. Diz ainda que a música está devidamente registrada, nos termos do artigo 21 da Lei 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais). E que, para usá-la, era preciso pedir autorização. O que não foi feito. Por isso, pediu indenização por danos morais e materiais.

O juiz Vitor Frederico Kümpel se baseou em laudo técnico para decidir. O parecer esclareceu que não se tratava apenas de um jingle, “mas da música oficial (tema) da campanha presidencial do PT no ano de 1989”. E que a situação criada na propaganda de Serra não tinha tom humorístico.

Em relação ao argumento de ser uma paródia, Kümpel recorreu ao artigo 7º da Lei de Direito Autoral e ao dicionário Aurélio. O dispositivo diz que “são livres as paráfrases e paródias que não forem verdadeiras reproduções da obra originária em que lhe implicarem descrédito”. De acordo com o dicionário, paródia é a “imitação cômica de uma composição literária”. Não é o caso, sentenciou o juiz. Ele fixou condenação no valor de R$ 56.250 por danos morais mais R$ 56.250 por danos materiais.

fonte: Consultor Jurídico

Folha de São Paulo

Interessantes os artigos de hoje na coluna Tendências/Debates.
O primeiro: "Direitos Humanos e diversidade sexual", de Paulo Vannucchi, Ministro da Secretaria especial de Direitos Humanos.
O segundo: "Socialização dos benefícios", de Fernando Nogueira da Costa, economista.
Veja quanto o Governo Federal botou de dinheiro em Sorocaba:

http://www.cgu.gov.br/convenios/ConveniosLista.asp?UF=SP&Estado=SAO%20PAULO&CodMunicipio=7145&Municipio=SOROCABA&CodOrgao=&Orgao=undefined&TipoConsulta=0&Periodo=

Inédito: Ministério da Previdência assina TAC adotando Software Livre


O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) e o Ministério da Previdência Social (MPS) firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que visa garantir a continuidade das ações do MPS para a mudança de seu parque tecnológico, estruturado em tecnologia proprietária. O objetivo é garantir a adoção de plataformas de padrão aberto, que permitam a aquisição de produtos e serviços - atualmente fornecidos por uma única empresa em razão da sua exclusividade - por meio de licitação.

O TAC também foi assinado pela Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) e pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). O documento define as responsabilidades de cada parte e estabelece prazos para que as medidas necessárias ao fim da dependência de uma fornecedora exclusiva sejam adotadas. A meta é concluir o processo de substituição da plataforma, através da migração dos sistemas, até janeiro de 2010, antes do término do atual contrato com a empresa Unisys.

Veja mais: Projeto Software Livre Brasil

03 junho, 2008

CUT CURTAS 8


Não temos problemas


Boa a matéria do Cruzeiro do Sul de domingo (01) sobre trabalho infantil nas ruas de Sorocaba. Ainda que a economia venha crescendo e o emprego formal batendo recordes, o déficit social encontrado pelo governo Lula é muito grande. E outros entes da federação brasileira, como estados e municípios, têm de cumprir seu papel na redução das desigualdades. Mas, para isso, precisam de dados e informações confiáveis, que permitam conhecer com profundidade os problemas. Não é o caso de Sorocaba: contra as evidências, a Secretaria da Cidadania (?) disse ao jornal que não há trabalho infantil na cidade. Tempos atrás, a mesma Secretaria afirmou que não havia moradores de rua em Sorocaba. Que bom. Como a Prefeitura não sabe dos problemas, não precisa se preocupar com as soluções. Não é brilhante? Na natureza, o avestruz adota a mesma estratégia.


Piti na Câmara

A vereadora Neusa Maldonado, ex-PDT, atual PSDB e futura sabe-se lá qual partido, estava espumando na Câmara de Sorocaba na semana passada. Ela, da corriola amarysta, investiu pesado contra o Prefeito Vitor Lippi e sobrou até para o presidente do Legislativo, Paulo Mendes, ex-PMDB, ex-PFL, atual PSDB e futuro sabe-se lá que partido. O mais interessante é que nas críticas que o pessoal do Amary faz ao Lippi e nas críticas que o pessoal do Lippi faz ao Amary, os dois grupos estão falando a verdade.


Chapéu alheio

A CUT foi para cima do Secretario Municipal de Desenvolvimento Econômico do governo Lippi, Daniel de Jesus. Também pudera: ele declarou, num caderno especial do Cruzeiro do Sul sobre a indústria em Sorocaba, que foi a política econômica local a responsável pelo crescimento dos investimentos e do emprego na cidade, o que é falso. Durante o governo FHC (PSDB/PFL) houve retração econômica, inclusive em Sorocaba. Se agora voltou a crescer, é por conta da política econômica do governo Lula. Cortesia com chapéu alheio é fácil, mas é muita falta de honestidade intelectual, o que não fica bem para um pretenso líder do empresariado sorocabano.


Apostas crescem

Tem gente na cidade apostando qual será o próximo processo a que o ex-prefeito Renato Amary vai responder. A coleção cresce a cada dia.


Reunião bombada

Mais de 200 pré-candidatos a vereador do PT na região de Sorocaba lotaram no domingo (01) as dependências do Sindicato dos Metalúrgicos para uma jornada de formação. A animação foi muito grande. Iara Bernardi e o prefeito de Porto Feliz, Claudio Maffei, entre outros, falaram aos presentes. Hamilton Pereira, o pré-candidato do PT à Prefeitura de Sorocaba, saiu todo satisfeito do encontro. “Essa militância, que só nós temos, é que vai fazer a diferença na hora dos vamos ver”, comemorou Hamilton.


Pannunzio pit-bull

O Deputado Federal Antônio Carlos Pannunzio (PSDB) interrompeu uma sessão da CPI dos Cartões para anunciar um acidente aéreo que não existiu e, claro, culpar o governo Lula. Na semana passada, o vereador Antônio Ismael, líder da bancada do PT na Câmara, ao comentar o ocorrido, disse que o Deputado parecia “um pit-bull, sempre babando e pronto a atacar o governo”, ainda que baseado em informações falsas. Ao que se sabe, Pannunzio ainda não se desculpou pela mancada.