17 outubro, 2006

Delegado constrange oposição e diz que PF não é manipulada

A oposição esperava que o presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal referendasse suas críticas de aparelhamento da instituição, mas foi constrangida diante das câmeras a uma declaração de que a PF não sofre qualquer manipulação do governo nas investigações sobre o escândalo do dossiê.

Sandro Avelar, que dirige a ANDPF, pediu um encontro com os comandantes do PSDB, do PFL e do PPS nesta tarde e fez os três partidos acreditarem que teriam um aliado nas críticas de aparelhamento da PF.
Cálculo errado. O objetivo do delegado não era unir-se ao coro nem ofender a instituição que representa, mas aproveitar a polêmica sobre a PF para apresentar um projeto de lei reivindicando a autonomia da corporação federal.

"As investigações são isentas e estão sendo conduzidas da maneira que deve ser feita, o prazo (do inquérito) é bem razoável", disse Avelar, para surpresa dos jornalistas e constrangimento de líderes da oposição, que posavam a seu lado diante das câmeras de TV.

Inicialmente, o encontro havia gerado nos partidos que apóiam a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência da República a esperança de dar musculatura à pressão pelo surgimento da origem do dinheiro e expor nos jornais um fato negativo aos adversários. Mas o movimento acabou tendo efeito contrário.

Agora, os coordenadores da campanha do Alquimista tentarão um encontro com o palhaço Bozo para que ele afirme que a investigações da Polícia Federal estão sendo abafadas. Ao consta, estará presente na coletiva do Bozo a Vovó Mafalda, que também fará pesadas críticas ao governo Lula.

Um comentário:

octávio disse...

Eu acho que eles tomaram foi um Salsifufu!! uhauhauhahua