03 novembro, 2006

Passa o tempo e a esquerda sempre tem as mesmas discussões genéricas: quais os rumos da nova esquerda, quais suas principais bandeiras de luta do século XXI... Aliado a isso, os esquerdistas, geralmente, são todos dentores da verdade absoluta; sempre muito bem qualificados, defendem com veemência suas teses.
Penso eu:
Será que o socialismo teria eficácia absoluta no mundo de hoje, nos moldes de Marx, ou deveria ser rediscutido?
Como se portaria e o que defenderia Ernesto Guevara de la Sierna, caso fosse vivo? Assemelharia-se a Fidel Castro?
Antes, ser de esquerda, era sinônimo de ser socialista, e hoje? Muitos evitam se utilizar deste termo, dizem que "queima o filme".
Quem está certo, Hugo Chavez ou Bachelet? Evo ou Lula?
Não seria o momento de lançarmos a "Internacional de Esquerda" e sistematizarmos, após amplo debate, efetivamente, nossos objetivos? Poderíamos até cantar "de pé, ó vítimas da fome; de pé, famélicos da terra...", não vejo problema, desde que o resolva.
O fato é que não sabemos mais ao certo o que é esquerda e o que é direita. Quando queremos situar alguém politicamente, apenas observamos seu histórico, sem mais analisarmos suas posturas, posicionamentos e discursos atuais.
Para mim, os tucanos são de direita. Mas eles se dizem centro!!!
O passado deles aponta para a esquerda, mas o do Palocci também?!?!?!?!
Eu não entendo mais nada!!!
Talvez siga o ritmo:
eu quero levar uma vida moderninha, deixar minha minininha, sair sozinha...

Um comentário:

Almeida disse...

Me parece que a melhor politica, seja ela direita, esquerda ou centro, não funcionará se não houver equilibrio na distribuição de renda e riqueza de um pais para seu povo. Quando TODOS tiverem comida, trabalho, educação e saúde num mesmo pé de igualdade e puderem com isso aspirar um futuro melhor este país será uma potencia mundial.