25 março, 2007

O Taj Mahal da justiça eleitoral


Com orçamento de 330 milhões de reais, a nova sede do TSE será uma das mais caras do poder judiciário. Mais caro até do que o TST de São Paulo, feito pelo juiz Lalau.

A bagatela de R$ 2.831,00 o metro quadrado.

O responsável pela "obra de arte" é o ministro Marco Aurélio Mello. Ele alega que em ocasiões como a diplomação do Presidente da República, o auditório do TSE fica pequeno.

Como bem observou o jornalista Paulo Henrique Amorin, a diplomação do Presidente só ocorre de quatro em quatro anos. Isso quando não há golpe militar.

É interessante lembrar que o referido ministro não queria dar posse a Lula e, ao declarar o resultado das eleições. Ao invés de dizer que Lula havia vencido, disse que "diante dos votos a apurar, Geraldo Alckmin não podia mais vencer..."

Já que o candidato dele levou ferro, agora quer construir seu Taj Mahal particular.

O Taj Mahal é a maior prova de amor do mundo. Foi construído com a força de cerca de 22 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no suntuoso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam.

Embora muitos pensem que se trata de um palácio, na verdade de trata-se de um gigantesco mausoléu.

A nova sede do TSE será o mausoléu da candidatura Alckmin, edificado pelo Ministro Marco Aurélio Mello.

Mais uma vez, uma grande prova de amor. E os brasileiros pagam pela baitolice.

Um comentário:

Joey Potter disse...

O auditório é pequeno?! Nessas horas eu tenho respostas curtas: pequeno é o sálário mínimo. Ponto.