25 abril, 2007

O Rei filósofo e os banqueiros da corte poderia ser um outro título para o livro "Os cabeças-de-planilha" de Luis Nassif, Editora Ediouro, que acaba de ser lançado. Conta a história do maior escândalo da politica econômica recente.
Ele desmostra em entrevistas com economistas desde 1994 e em dados empíricos, como os banqueiros de FHC formaram a cabeça-de-ponte para o ataque especulativo à economia brasileira sem perder de vista o interesse pessoal .
André Lara Rezende, segundo Nassif, é a peça fundamental para entender este esquema. Um dos homens fortes de FHC ele teria arquitetado um plano para conduzir o Banco Central e o Ministério da Fazenda de forma a beneficiar um reduzido número de instituições financeiras, posto em prática, ele ficou conhecido como Plano Real.
Funcionava mais ou menos assim, segundo disse o próprio FHC, o Plano possuia um erro que não teria sido previsto - é claro, colocado em andamento ele provocaria uma determinada falta de confiança por parte do mercado financeiro, no entanto, algumas pessoas, todas ligadas ao Banco Central, criaram o seus próprios bancos para surfarem nesta onda e se beneficiarem do controle sobre a economia.
Ao mesmo tempo, Fernando Henrique dizia que estava promovendo "A Nova Renacença", a mídia e os bancos forneceriam as idéias luminosas que guiariam a nação rumo ao século da informação.
O resultado, passados alguns anos, foi uma recessão inclível que levou o país a beira do buraco, desemprego e queda generalizada dos indicadores sociais e o enriquecimento dos banqueiros ligados a ele - através do banco Matrix Lara Rezende foi o pricipal beneficiário
Rezumindo um pouco mais: eles passaram a perna no próprio neoliberalismo.
Quando o meu pai dizia, em 1998, que o Collor não havia feito tanta maracutaia quanto Fernando Henrique Cardoso eu não entendia - coisa de matudo? Agora tenho certeza que ele estava certo.

Leiam a entrevista de Luis Nassif para Paulo Henrque Amorim

Um comentário:

Dannilo Garcia disse...

Se vcs tiverem coragem, divulgue este comentário postado por Marcelo Tas, um dos mais "imparciais" blogueiros deste país ou entao comentem algo.

Mangabeira: the book is on the table


Never in the history of this country...

Mangabeira Unger, aquele ser com a cara e o sotaque mais estranho do hemisfério norte (sim, ele mora nos EUA), guru do não menos estranho Ciro Gomes, vai assumir um misterioso ministério no governo Lula conhecido como Ministério das Ações de Longo Prazo. Não riam, é fato.

É a pessoa certa no lugar certo. Vejam, é dele o texto que começa com o parágrafo abaixo, publicado em 15 de Novembro de 2005. Isto é que é um homem de visão de longo prazo.

“Afirmo que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional. Corrupção tanto mais nefasta por servir à compra de congressistas, à politização da Polícia Federal e das agências reguladoras, ao achincalhamento dos partidos políticos e à tentativa de dobrar qualquer instituição do Estado capaz de se contrapor a seus desmandos. Afirmo ser obrigação do Congresso Nacional declarar prontamente o impedimento do presidente."
Escrito por Marcelo Tas às 17h16