27 junho, 2007

O suiço Christoph Gilgen estava por trás dos controladores

ou mais um avião!

Lendo o Conversa Afiada agora a pouco levei um susto, o deputado federal André Vargas (PT-PR) entregou para Paulo Henrique Amorim, algo que pode provar a existência de conspiração entre os controladores militares brasileiros e o suiço Christoph Gilgen, presidente da Federação Internacional de Controladores de Tráfego Aéreo.

Trata-se de extensa conversa por e-mail entre os controladores presos na semana passada e extrangeiros. Em determinado momento o Suíço chega a dizer:

"façam mais, mais, sobretudo mantenham a pressão, mantenham a proa e não deixem mais sair o peixe da rede"

“Quer dizer, um suíço vem, ataca o nosso sistema, ataca o Brasil, a soberania nacional, a imagem do Brasil e diz: ‘há que se manter a pressão, manter a proa, não deixar mais sair os peixes da rede’... Agora, tendo acesso a esses e-mails a gente percebe que é um verdadeiro conluio para atacar o Brasil e resolver os problemas de uma categoria profissional” (Dep. André Vargas)

Os e-mail trocados ainda não haviam sido apresentado a CPI do Apagão Aéreo no momento da entrevista (12h30), sua veracidade também não foi comprovada ainda, mas, sendo verdade pode mudar o rumo das investigações

Leia os e-mals aqui

Imagino que o Esfincter anal (loló) dos controladores amotinados deva estar contraidíssimo, tamanha a tensão. Se forem verdadeiros estes e-mails, virá muito nabo pela frente - ou pela popa!

4 comentários:

Vinícius disse...

A Marta diria: relaxa e goza!

franprandi13 disse...

Se for verdade a cobra vai voltar a se arrastar hehehehe

Alexandre disse...

A classe operária é internacional.

Eles tem o direito de se organizarem internacionalmente, isto é o beaba do marxismo.

Posso discordar desta ação dos controladores, mas nunca do direito de se organizarem.

Reinaldo disse...

Concordo com o Alexandre.

Qual o espanto porque trabalhadores de diversos países trocam informações de buscam se auxiliar mutuamente na luta pela melhoria da suas condições de trabalho?