17 abril, 2008

Só faltava essa!

por Carlos Cavalheiro, historiador:

Em meados da década de 1930 começou a se organizar em Sorocaba a Ação Integralista Brasileira, tendo mesmo apresentado candidatos à vereança da cidade. Para quem não sabe, os integralistas eram a versão brasileira dos nazi-fascistas.
Liderados por Plínio Salgado e Gustavo Barroso (entre outros), disseminavam a intolerância, o racismo, a militarização da sociedade e a violência.
Tinham por lema: Deus, Pátria e Família. Por usarem camisa verde foram chamados pejorativamente de "Galinhas Verdes". Saudavam-se como os nazistas, esticando o braço, e gritavam: "Anauê!".
Em Sorocaba perseguiam os anarquistas, os operários, os comunistas e até mesmo os maçons.
Uma das vítimas, conforme noticiado pelo jornal Cruzeiro do Sul em 06 de agosto de 1937, foi o operário Emílio Bramante, covardemente agredido por um grupo de integralistas liderados por Francisco Morón Fernandes.
Pois é esse mesmo o nome que a deputada estadual sorocabana Maria Lúcia Amary (através do PL 232/2005) pretende homenagear denominando de Francisco Morón Fernandes o viaduto do km 10,650 da Rodovia Senador José Ermírio de Moraes.
Com uma cidade com tantos exemplos de pessoas que realmente lutaram pelas causas sociais, que difundiram ideais humanistas, e que combateram o autoritarismo e a intolerância, não haveria um nome mais adequado para o referido viaduto? Ademais, já existe uma rua em Sorocaba com o nome de Francisco Morón Fernandes...

6 comentários:

Kagahn disse...

See Please Here

Luis Fernando disse...

Carlos Cavalheiro, historiador, não quer um viaduto com o nome do Sr. Moron (sem acento, por favor). Não o julga digno da homenagem.

O sr. carlos deve considerar que o seu ataque à uma pessoa que não está mais aqui pra se defender é prova de coragem, que ele contrapõe à covardia do ataque ao operário Bramante.

Tão particular concepção de coragem do "historiador" não é de se estranhar. Assim como não é de se estranhar a publicação do "corajoso" ataque em um blog "socialista".

Já que estamos então em revisionismo, façamos então um encontro de contas histórico: somemos os mortos atribuídos aos "integralistas" e "humanistas socialistas". Quem ganhar o concurso macabro entrega seus nomes de ruas, praças, viadutos e estradas. E fica quieto em respeito aos mortos. Que tal, historiador Carlos?

Anônimo disse...

Seu Moron

Uma das pessoas mais integras de SOROCABA, espanhol, feliz, amado por todos que o conheceram.Ele Vive nos corações der todos que tiveram o privilégio de conviver com ele.
Que decepção seu historiador??????
vai pesquisar e ver então ........
Que história vc conhece??????
Sorocaba ter orgulho de ter tido SEU Moron como filho.
Se Carlos vai estudar........

Anônimo disse...

Parabéns Família do saudoso Moron
Conheci e fui amigo da ilustre família do SR Moron.Só que não o conheceu pra escrever essas barbaridades....
Culto. Integro. Honesto.
Trabalhador e batalhador.
Veio e venceu.Famíla unida.Todas as qulaificações que eu escrever serão poucas para descrever o que acho dessa digna famíla.
Tentar escrever para quem nem aqui está ....... muito me admirou....
ELE vive como disse um amigo ai em nosso corações......
Não aos pontilhões sÃO de tijolos, caro Carlos, seu Moron era só coração.......
Ele vive em nossas CORAÇÕES, NÃO PRECISAMOS DE MUROS DE TIJOLOS COM NOME DE TÃO ILUSTRE PESSOA.
Á TODOS DA FAMÍLIA MEUS PARABÉNS POR TEREM TIDO ESSE GRANDE HOMEM COMO EXEMPLO.

Anônimo disse...

Viva Moron! Viva o facismo!

Luis Fernando disse...

Viva o anônimo! Viva a coragem e a honestidade intelectual e moral.



(é, seu sei, falar em "moral" com você é como falar em corda em casa de enforcado.)