30 março, 2006

Soyuz é lançada levando 1º astronauta brasileiro


Pontualmente às 8h30m18s desta quinta-feira (23h30m18s de quarta-feira, em Brasília), a explosão provocada pelo acionamento dos foguetes acoplados à nave espacial Soyuz TMA-8, que levou o primeiro brasileiro, ao espaço ressonou nos campos desertos do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Poucos segundos mais tarde, a nave desapareceu no céu rumo à Estação Espacial Internacional (EEI), onde o cosmonauta brasileiro, tenente-coronel Marcos Pontes, de 43 anos, vai passar oito dias realizando os experimentos da missão Centenário, batizada em homenagem aos cem anos do vôo do 14 Bis, de Santos Dumont.

Do dia 1º ao dia 8 de abril, Marcos Pontes vai executar os oito experimentos selecionados pela Agência Espacial Brasileira (AEB).

Durante sua permanência no espaço, Pontes vai se comunicar com a Terra várias vezes por dia.

O primeiro contato será com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende. O cosmonauta deve falar também com jornalistas brasileiros, técnicos da missão e com seu médico, o tenente-coronel Luiz Cláudio Lutiis.

Superstições cercam lançamento da Soyuz

O lançamento de missões espaciais no Cosmódromo de Baikonur é cercado de superstição e rituais: das palavras evitadas pelos engenheiros, à música tocada para os cosmonautas no caminho para a plataforma de lançamento.

A admiração pelo pioneiro dos vôos espaciais, Yuri Gagarin, está no centro de muitas dessas tradições.

Coincidentemente, o brasileiro Marcos Pontes ganhou algumas comparações com o pioneiro russo por seu sorriso e, por tabela, conquistou a simpatia de muitos russos.

Desde o vôo do russo, em 1961, por exemplo, todos os astronautas que partem de Baikonur ouvem no ônibus que os leva do seu hotel até a plataforma de lançamento a mesma canção: Trava u doma, em tradução literal "grama ao redor de sua casa".

Clique aqui para ouvir a canção Trava u doma

3 comentários:

CCCP disse...

Lá vou eu de novo ser o estraga-prazer, mas, ecoando a opinião de vários especilistas e do próprio diretor do programa espacial brasileiro, U$ 10.000.000,00 por uma carona na Soyuz não é muito dinheiro quando se têm tantas outras prioridades no próprio campo espacial ? Só 2 exemplos: capacitar a base de Alcântara -MA- para que torne base efetiva para o lançamento de foguetes e avançar no desenvolvimento do VLS (veículo lançador de satélites) brasileiro, habilitando o Brasil a entrar nesses dois lucrativos mercados.
O argumento utilizado pelos defensores da empreitada chega a ser ridículo, incluir o Brasil no clube dos países que já mandaram um representante para o espaço... Não seria mais importante primeiro excluir o Brasil de alguns outros clubes dos quais é sócio remido, tais quais: países de pior distribuição de renda do mundo, dos maiores juros cobrados (campeão!), do maior número de vítimas fatais no trânsito (campeão!) etc etc etc.
Sem falar que, "inexplicavelmente", a viagem do brasileiro que era prá se dar em meados de outubro, foi adiantada em cinco meses, dando azo a especulações de que, mantida a data original, não haveria tempo hábil para "capitalizar" o evento, se bem sucedido ou para "esquecê-lo" se ocorresse alguma, digamos, merda.
É óbvio que se trata de mais um "factóide" midiático governamental para termos o prazer de ver o Lula dizendo, mais uma vez, "nuncanastóriadessepaís" bláblábláblá....

Obs. o chato, tenho que admitir, é que não seria diferente em qualquer outro governo...

Espírito Santo disse...

Grande CCCP!

Sabe que muitas vezes eu concordo com suas opiniões mas desta vou ter que discordar um pouquinho.
Tem razão na maior parte de suas argumentações, mas e os oito maravilhosos experimentos científicos que nosso astronauta está levando para a Estação Espacial?
Sim! Existem experimentos científicos muito sérios que esse desbravador dos "sete ares" tupiniquim carrega na sua mochila espacial. Como podemos esquecer do maravilhoso e complexo experimento da germinação de feijões, sugeridos por uma escola de ensino fundamental de Bauru? Isso mesmo! Aquele dos copinhos de café! Com pedra, com algodão, com terra... Uns com água, outros sem! Será que com esse experimento não descobriremos algo extraordinário? Será que na Estação Espacial o feijão não germina na pedra sem água? Mal posso esperar para saber os resultados!!!
Pense bem CCCP! O que são 10 milhõezinhos de dólares perto de incríveis descobertas com feijões?

Anônimo disse...

...é fácil criticar sem conhecer do que se está falando, difícil é aos 9 anos ter o sonho de ser astrounauta, e hoje ser.
Parabéns Marcos Pontes.
Enquanto uns reclamam, outros arregaçam as mangas e fazem.
.paz.