16 agosto, 2006

Morre Alfredo Stroessner, ex-ditador do Paraguai

O ex-presidente do Paraguai Alfredo Stroessner morreu nesta quarta-feira em Brasília.
Stroessner, de 93 anos, governou o Paraguai entre 1954 e 1989 e estava exilado no Brasil desde que foi retirado do poder, em fevereiro de 1989, em um golpe liderado pelo comandante do Exército paraguaio, general Andres Rodrigues.

O ex-presidente estava internado no Hospital Santa Luzia desde o mês passado com pneumonia e, nos últimos dias, respirava com ajuda de aparelhos, segundo informações de um porta-voz do hospital.

O ex-presidente enfrentava vários processos, a maioria por violações de direitos humanos. Várias organizações responsabilizaram seu governo por pelo menos 900 casos de assassinatos e desaparecimentos durante seu regime.

O deputado Rafael Filizzola, do Partido Solidário, de oposição, lamentou o fato de Stroessner nunca ter sido julgado.

"As vítimas que desapareceram, foram torturadas e mortas devem estar com a sensação de que não houve justiça (para o ex-presidente). Não se pode permitir que o corpo (de Stroessner) receba honras no Paraguai", disse o deputado.

Um ditador a menos. Se houver inferno, Alfredo Stroessner está lá. Já vai tarde.

Um comentário:

CCCP disse...

Ô lôco Reinaldão! Lugar de ditador é no inferno ? Então o Fidel já fez reserva ?