18 janeiro, 2007

O Instituto Fernando Henrique Cardoso, ONG criada pelo ex-presidente tucano com a ajuda de grandes empresários, foi contemplado no ano passado com uma doação de R$ 500 mil de uma empresa estatal do governo paulista, que no período 2003-2006 foi comandado por Geraldo Alckmin (PSDB) e Cláudio Lembo (PFL).

O dinheiro saiu da Sabesp - então presidida por outro tucano, Dalmo Nogueira Filho - e foi direcionado para um projeto de conservação e digitalização do acervo do instituto, conhecido pela sigla iFHC.

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) é uma das sete empresas que, até o final do ano passado, haviam doado R$ 2.095.000,00 para o projeto de preservação e digitalização do acervo do iFHC, com incentivos fiscais da chamada Lei Rouanet - as contribuições podem ser descontadas do Imposto de Renda.

O acervo é formado por livros, fotos e obras de arte de FHC e também de sua mulher, Ruth Cardoso. Reúne não apenas itens coletados durante a passagem do tucano pela Presidência, mas também da época em que era professor e um dos líderes da oposição ao regime militar. Entre os objetos em processo de catalogação estão os presentes que FHC recebeu durante seu governo - vasos, quadros, tapetes e até capacetes de pilotos de Fórmula 1.

O projeto de preservação e digitalização do acervo está orçado em mais de R$ 8 milhões - valor que equivale a cinco vezes o orçamento anual da Biblioteca Mário de Andrade, a maior de São Paulo, com mais de 3,2 milhões de itens.
Fonte: Terra Magazine

5 comentários:

Anônimo disse...

Que absurdo. Que absurdo você ter copiado isso do Terra Magazine sem citar a fonte...

Eliton disse...

Atento leitor, já postei a fonte. Obrigado pela colaboração.

Reinaldo disse...

Um erro sobre a fonte é compreensível. O que se dizer sobre o "erro" da Sabesp, caro leitor?

Já imaginou se a Petrobrás tivesse feito uma doação a Fundação Lula? O iLULA. O escândalo "nunca dantes visto" neste país de gente tão honesta...

Lucas disse...

R$ 500.000,00 para preservar o "acervo" do Farol de Alexandria? O que há de de interessante nesse acervo? "Vendi o Brasil"? Ou "Memórias de minha privatização triste"?

Anônimo disse...

O FHC consegue roubar o povo mesmo fora do governo. Isso é uma vergonha.