27 setembro, 2007

Gabriel

Passadas quase duas semanas da saída de Gabriel do PT, não sabemos ainda quais motivos realmente o levaram a deixar o partido e ir para o PCdoB.

a) Sabemos que o Gabriel não tinha divergência ideológicas com o PT, muito menos possui convergências com o Partido Comunista, ele não é comunista, nem estava mais à esquerda do que o campo majotritário do partido;

b) Até pouquíssimo tempo Gabriel gravitou em torno desse campo majoritário;

c) Gabriel possuía uma salgada dívida de campanha que ele não conseguia saldar estando no PT, sem pagar a dívida ele não poderá ser candidato e o PCdoB não tem condições de pagá-la;

d) Gabriel sabe que não seria eleito pelo PCdoB e o rompimento com o PT não é bom;

e) Gabriel levou consigo apenas dois de seus parceiros mais próximos e não entrou em polêmicas com o PT e seus maiores aliados petistas continuam filiados;

Existem várias hipóteses para o que tenha contribuído para a decisão do Gabriel:

1ª Sabendo que não seria candidato no PT Gabriel foi para o PCdoB para forçar um bom acordo numa chapa como vice do PT, desde que a prefeita seja Iara Bernbardi;

2ª Gabriel sabe que seria muito mais fácil ser eleito deputado estadual pelo PCdoB que pelo PT, ele teria feito o mesmo raciocínio que Raul Marcelo (Psol) quando saiu saiu do PT;

3a Ou simplesmente, como andam dizendo por ai, alguém pode ter prometido pagar sua dívida para que ele dividisse os votos do PT, motivo que também foi cogitado em 1996 quando Nildo Leite (PSB) se candiodatou a prefeito rachando a base do PT, o que supostamente também teria sido articulado entre PCdoB e PSDB;

8 comentários:

Alexandre disse...

Bom dia, Fábio

Com relação ao NIldo, não houve acordo com o PSDB, para aeticular sua candidatura.
Eu e o Nildo estivemos na época conversando com a Iara, e ela foi categorica, dizendo que não queria composição com o PSB.

Eu argumentei, que o tempo de tv e os votos do PSB, eram importantes para levar o PT ao segundo turno. Mas ela foi irredutível.

Pelo PSB, nós queriamos fazer uma composição na chapa de veradores.

Mas o sectarismo imperou e não foi possível a coligação.

Foi somente após isso, que foi formada a aliança com o PC do B e o PSDC.

Quando terminou o primeiro turno, eu disse para o NIldo, que ele não devia apoiar o Renato Amary, mas ele apoiou. A partir deste momento eu me afastei, pois não acredito nesta politica de concialiação.

Alias, as lidernaças do PT também apoiaram, e deu no que deu.

Fábio Correa disse...

Apresentei uma das das hipóteses.

Anônimo disse...

Asa de gavião, asa de galinha, se vc já deu a bunda, dê uma risadinha!

Reinaldo disse...

Fábio, acho que cabe um esclarecimento. O Gabriel não têm qualquer dívida com a Justiça Eleitoral, caso contrário não seria candidato a deputado estadual em 2006.

Pessoalmente, acredito que ele deixou o PT porque entendeu ali não havia espaço para seu projeto, suas ambições. Não há nada de errado nisso.

Gabriel deve ser candidato a prefeito pelo PCdoB, situação contemplada pela própria estratégia desse partido, que busca ampliar sua base de votação para enfrentar mudanças na legislação eleitoral.

O PSOL também terá candidato, assim como o PT.

Ao contrário do que alguns pensam, acho que três candidatos, com perfil de esquerda, fortalece o debate em torno de temas que são importantes para o pensamento de esquerda. Essa situação poderá beneficiar quem passar para o 2° turno.

Fábio Correa disse...

Não acredito nisso Reinaldo, não ha três candidaturas existem alguns projetos politico-pessoais, somente isso.

Fábio Correa disse...

Ou melhor, não existem três candidaturas de esquerda.

Anônimo disse...

Gabriel saiu para ser candidato a prefeito pelo PCdoB. Só não dá para entender como ele chegou a conclusão de que terá chances reais.

Três candidatos a prefeito e, se bobear, Psol terá mais votos que o pT

Anônimo disse...

Gabriel nao pretende ser eleito, ele quer ser deputado.