01 setembro, 2007

Processo eleitoral começa hoje em Cuba

Esta semana começa o processo de eleições gerais em Cuba, presidente, deputados, etc. Mas não criem expectativas, a possibilidade de Castro cair é muito pequena, e se isto vier a acontecer será mais por causa de sua saúde debilitada. Isto ocorre porque em Cuba existe reeleição ilimitada e sempre quem esta no poder tem facilidade em se reeleger. Mas será Cuba uma democracia, apesar de haver possibilidade de se trocar o poder?

"Diz um ditado popular que uma mentira repetida diversas vezes acaba virando verdade" foi assim que o professor José Rodrigues Mao Junior começou a responder uma pergunta feita por um aluno de Geografia na ocasião do lançamento de seu livro "A Revolução Cubana e a Questão Nacional (1868-1963)". A pergunta era mais ou menos a seguinte: "considerando todo o processo revolucionário, a participação popular, a expectativa do povo cubano pela democracia, como a revolução degringolou para um regime ditatorial?" Resposta: "Posso começar dizendo que, para a surpresa de todos vocês, em Cuba existem eleições apesar de a mídia pro imperialista afirmar a todo instante que aquele se trata de um regime ditatorial"

A resposta não poderia ser mais enfática, quem diz que o regime cubano não é democrático são os estadunidense e a oposição pró-EUA.

E assim se seguiu:

- O presidente Fidel Castro é eleito a cada quatro anos para um novo mandato e quem o escolhe são os deputados.

- Mas e o regime de partido único, não é antidemocrático?"

- Em Cuba o Partido Comunista não participa das eleições, a função do partido lá é outra, trata-se de uma entidade que organiza as massas e, o ser membro do PC, não garante nenhum privilégio ao contrário do que ocorria na URSS. Aliás, mais de quarenta por cento dos deputados não são filiados ao partido: os eleitos são escolhidos a partir de seus bairros, distritos, fábricas, cooperativas camponesas, escolas, universidades, etc. e são esses deputados elegem o presidente. Eu não saberia dizer se este sistema é bom ou ruim, porém, se formos comparar com a democracia presidencialista ele parece ser muito mais democrático.

Como diz o Profº Mao, eu não saberia dizer se o regime cubano é o modelo ideal de política, só sei que ele não é menos democrático que o modelo político brasileiro, sem falar do modelo estadunidense. No Brasil, apesar de toda a suposta democracia, se não houvesse uma lei que proibisse a reeleição por mais de uma vez, muito provavelmente o Lula ficaria no poder até 2040.

Considerando o amplo apoio popular de Lula e a alta propensão do congresso à corrupção, o presidente poderia com relativa facilidade, obter uma nova emenda para a reeleição. FHC o fez sem o apoio popular, somente comprando o congresso.

No capitalismo, todos os partidos políticos, sem exceção, estão à venda! Isso não é democracia!

3 comentários:

Luizinho disse...

Não consegui entender a tua posição perante esse artigo, mas tomara que você não esteja defendendo o voto indireto...

Fábio Correa disse...

Não estou defendendo, pelo menos diretamente, nenhuma posição, estou colocando algumas questões no entuito de provocar uma reflexão sobre o nosso conceito de participação política e democracia?

Será que Cuba é uma ditadura?
Sera no Brasil há uma democracia?
Quem tem a culpa pela corrupção nos partidos?
Deve haver reeleição ou não?
O sistema presidencial é o mais democrático?

Anônimo disse...

"entuito"??? processo por homicídio doloso nele!

os entes queridos da Flor do Lácio exigem justiça!