13 dezembro, 2007

Processo de eleições diretas do PT/ 2 turno Justificativa de voto

No segundo turno, duas candidaturas se apresentam: Berzoíni e Tatto.
No primeiro turno, nosso candidato foi o José Eduardo Cardozo. Faltou muito pouco para que fosse ao segundo turno. Fizemos um ótimo debate ao longo da campanha. Tenho clareza que tínhamos o melhor candidato. E mais: se a sociedade pudesse votar nas eleições internas do PT, certamente o Zé ganharia disparado!
Consigo visualizar diferenças entre as duas candidaturas no segundo turno. Berzoíni representa a tendência interna conhecida como Articulação Unidade na Luta, que surgiu com o intuito de reafirmar o PT enquanto partido legítimo da classe trabalhadora, de esquerda e socialista. Dela, surgiu o Campo Majoritário, que fiz parte até o surgimento da Mensagem ao Partido, esta, por sua vez, composta por uma rede de forças políticas internas (pessoas que pertenciam à Articulação, ao Campo Majoritário, à Democracia Socialista e outros grupos independentes).
O Jilmar Tatto é do PTLM (Partido dos Trabalhadores de Lutas e Massas), que se uniu ao Movimento PT. Juntos, conseguiram empreender uma derrota histórica à Articulação no estado de São Paulo. Também compunham o Campo Majoritário. Combatem a interrupção dos debates internos do PT, culpando à Articulação. Reivindicam o resgate do processo democrático no partido.
Todos os dois defendem a reaproximação com os movimentos sociais. Omitem-se quando o debate se refere à ética. Tampouco abordam a questão da revolução democrática, tão defendida pela Mensagem. No debate de Brasilia, ocorrido ontem, Tatto chegou a citar a Revolução Democrática, mas sinto que esta avaliação não passa pelos pensamentos de seu grupo. Defendem a política de alianças para a governabilidade do Governo Lula, aliás, ontem vimos que bela governabilidade a CPMF nos apresentou!
Muitos companheiros que estavam com a Mensagem decidiram não votar no segundo turno. Ou votar nulo. Respeito-os. Acho também uma posição legítima, entretanto, peço licença para discordar. Acho que por mais difícil que seja nosso posicionamento, devemos escolher.
Pois bem, votarei no Ricardo Berzoíni. Por alguns motivos. Dos dois, o Berzoíni é mais coerente com a relação discurso/prática (por mais que eu discorde radicalmente da lógica empreendida em alguns momentos por sua corrente!). É sincero. Defende o PT e o Governo Lula.
Mas os dois fatores preponderantes para meu posicionamento foram: a declaração de voto do Tarso Genro e o fato de sempre discutirmos juntos com à Articulação os rumos do PT de Sorocaba.
De todo modo, de coração, espero que o Berzoíni faça um bom mandato.

Um comentário:

rodrigopeccini disse...

Ô gente, escrevam alguma coisa sobre a CPMF!!! Abraço