02 maio, 2008

Apocalipse

Carlos Cavalheiro, historiador
Então, eu vi o caos abocanhando o tempo.
E de suas presas exalava o fétido odor de nossos corpos
putrefatos, em deterioração, em estado de decomposição,
decompondo a música que embalou o berço de Adão.
E de inopino, surgiu dos mares a corrupção.
E com sua mão direita deitava ao solo as sementes
da discórdia e da ignorância, da miséria e da estupidez.
Sem que qualquer lição nos fosse profícua, em vão
os pregadores gastavam suas gargantas em praças públicas.
Antes o apelo de Castro Alves: a praça é do povo!
Pelos intricados labirintos urbanos revestidos
do negro manto asfáltico eu vi, recuados aos muros,
os corpos esparramados e as mãos a implorar a esmola.
Meu Deus! Não deste nem a Dante e nem a Kafka
tão tétrica e esdrúxula imaginação e a mim, que nem nome
tenho de meu, senão emprestado, a mim escolheste de profeta
gago e tímido, para denunciar tamanha imoralidade?
Se detrás dos ternos e paletós importados e alinhados
escondem-se a dissimulação e a hipocrisia, a intolerância...
Em quem confiar? Asmodeu era mais previsível.
Este discurso não é pretensioso. Não se quer mudar nada.
Apenas é o anúncio. É a voz do arauto ecoando no vale:
O amanhã será construído de forma diferente,
ou não haverá sol para iluminar o céu de amanhã.

19 comentários:

Fábio Cassimiro disse...

Nossa Daniel, esta postagem ficou meio mística, meio sinistra, parece música do zé Ramalho ou do Raul Seixas...

"As bórbuletas estão girando,
a dança louca das bórbuletas,
quem vai chegar, não quer partir agoraaa"

Reinaldo disse...

Em minutos, nossos fiéis leitores integralistas arrasarão com essa postagem e com o comentário do Fábio.

Anauê!

Luis Fernando disse...

Existe um teorema, chamado “teorema do Macaco Infinito”, que propõe que alguns macacos teclando ao acaso em máquinas de escrever (ou processadores de textos) por um período de tempo infinito produziriam, quase que com certeza, as obras completas de Shakespeare (entre outros textos, naturalmente). Há até um site sobre o assunto, além de muita informação na Wikipedia.

Depois de tentar ler este texto do historiador Carvalheiro, minha estimativa preliminar é que seria necessária uma meia dúzia de macacos e não mais do que algumas poucas horas.

E já que estamos no assunto, o Reinaldo tenta deixar uma casca de banana para eu escorregar: se eu criticar o texto do historiador Carvalheiro eu devo ser integralista. Quanta perspicácia, que verve, que arapuca bem montada. Realmente um espanto!

Sei que uso da ironia correndo o risco de prejudicar a compreensão dos autores. Mas confesso certo desapontamento. Quando vi o texto e a foto do historiador imaginei que ele fosse se estender em suas elucubrações históricas e atacar o cerne da questão. Claro, não há qualquer risco disso acontecer.

Em tempo: não estou chamando ninguém de macaco, estou falando da qualidade do texto. Sempre bom ser cuidadoso...

Fábio Cassimiro disse...

Pô Reinaldo vc vai ficar anunciando, o cara ficou envergonhado agora.

Luis Fernando disse...

Fábio, quão ridículo você é capaz de ser? Confesso que você realmente me impressiona. Toda vez que se vê a beira do precipício do opróbrio você não tem dúvidas: dá um passo a frente.

Você e seus amigos que escrevem este blog poderiam ter tido uma atitude menos arrogante no começo e evitado este papelão todo, o desvendamento de sua patente falta de respeito, o desnudamento da amoralidade de suas escolhas políticas, a exposição constante e reiterada de suas limitações intelectuais. Bastava pedir desculpas e parar com essa estupidez de integralismo e nomes de viadutos.

Ao invés disso, perseveraram. Resta agora este tipo de troca de gracejos adolescentes, tentativas meio desesperadas, como me chamar de “integralista”. Em seguida com certeza vão me chamar de “bobo”, “feio” e “cara de mamão”. E vão alegar que eu os ofendi por chamá-los de ridículos. E vão se fazer de vítimas.

Não tenho nada do que me envergonhar, Fábio, fique tranqüilo quanto a isso. Não cometo injustiças contra pessoas inocentes e não maldigo quem não pode se defender. Minhas posições políticas são irrelevantes para esta discussão, assim como o são as suas. E, embora você tente se esconder atrás delas o quanto possa, nem pra isso elas servem.

Lacerda disse...

Meu amigo Luis Fernando, eles não são de nada e eles nem tinham coragem de macular a memória de alguém tão importante, mas você os provocou... e agora estão parecendo o Lula - quanto mais bate, mais cresce.

Só resta uma alternativa, a eliminação física!

Estou com você nesta!

Luis Fernando disse...

Não proponho a eliminação física de quem quer que seja, que fique claro. Dispenso apoios neste sentido.

Eles tinham e tem a imensa coragem para macular a memória de quem não pode se defender. Não foram provocados por mim em nenhum momento. Ficarei por aqui, sem eliminação física de ninguém ou de qualquer coisa, até que eles se cansem de mim.

Nem eles não crescem ao bater nem eu os bato. Não preciso. Basta que eles falem para que tornem à sua exata dimensão.

Não confunda minha discussão com os autores deste blog com uma briga política ou ideológica. Tenho tanto interesse em debater política ou derrubar Lula como tenho vontade de extrair um dente. Não é disso que se trata.

José Ricardo disse...

Há algum tempo falou-se em Legião nesse conceituadíssimo blog. É assim que trabalham. Chegam ao ponto de criar "fakes" para "em bloco" atacarem os demais... Chega a dar nojo.

Reinaldo disse...

Eliminação física?! Que medão!

Os integralistas, em todos os tempos, foram covardes, que se reuniam em bandos para atacar operários indefesos.

Hoje em dia, nem mesmo uma matilha de integralistas emasculados seria capaz de atacar alguém.

Basta um grito e correm todos.

bah!

Luis Fernando disse...

Reinaldo, você está se revelando, entre as diversas personas que escrevem neste blog, o mais patentemente ridículo e pré-adolescente. Que um estudante não saiba escrever duas frases concatenadas já é absurdo suficiente. Mas um escrivão de polícia deveria saber escrever mais do que o delegado lhe dita. Sorte a minha, não tenho que ler trabalhos acadêmicos de um ou inquéritos de outro.

Façamos o seguinte, Reinaldo: você se mete com gente de sua idade mental e de sua capacidade intelectual. Não será difícil encontrá-los. Você parece já estar gravitando em torno dos ambientes corretos.

Enquanto isso corra lá me chamar o tal Daniel Lopes, o dirigente que tomou um chá de sumiço e deixou as crianças encarregadas de escrever bobagens. Vai, corre...

E não faça mais ameaças físicas. Não cai bem para um escrivão.

Reinaldo disse...

Luiz Fernando:

Ameaças físicas quem fez foi você, através de um epígono, Lacerda.

Sobre as demais observações, não as levarei em conta.

Tenho a impressão que você sente-se pessoalmente atingido por um observação política do historiador Carlos Cavaleiro.

Trata-se de seu avô, entendo, mas o referido historiador tem o direito de opor-se ao projeto que determina que seu nome, segundo Cavalheiro vinculado ao integralismo, servisse para nomear uma obra pública qualquer.

E desde então, você, Luis Fernando, passou a atacar indistintamente a todos os colaboradores deste blog, dizendo que nossos textos são de péssima qualidade, ou não são acadêmicos, ou adolescentes, etc.

Apesar disso, você parece não fazer outra coisa senão acompanhar, compulsivamente, tudo que se escreve no blog Bah!Caroço

Fique à vontade.

Para ler e comentar. Já deve ter percebido que não censuramos seus comentários, ou dos "epígonos".

Luis Fernando disse...

Reinaldo,

Assino todos os meus comentários, pois não sou boçal e não tenho vergonha das minhas opiniões. Já disse ao seu companheiro Fábio e digo a você: é fácil dizer se o tal Lacerda sou eu ou não, basta ver o endereço IP. Se for muito difícil para seus conhecimentos, peça ajuda.

Você tem razão, minha “briga” original era com o Carlos Carvalheiro e sua “história”. Não agissem vocês como malta e eu poderia deixar vocês seguirem com suas vidas patéticas e textos ídem. Interessante que o Carlos Carvalheiro nunca se manifestou. Foram vocês que foram sendo convocados para, um a um, defendê-lo, com os resultados que se vê. Cadê o Fábio, desistiu? Cadê o Daniel, correu? Você é o cara da vez, só por saber manusear o dicionário? Não deixa de ser um progresso, mas é insuficiente.

Não use mais estes expedientes ridículos para confundir os poucos que se dispõe a ler este blog semi-clandestino, Reinaldo. Tenham um pouco de honestidade intelectual e debatam sem tergiversar ou usar truques. Ajam como pessoas com um mínimo de hombridade. Sei que é pedir demais, mas vocês poderiam ao menos tentar. O mero esforço pode ser recompensador.

Anônimo disse...

Sensacional!

É a poesia estrambótica com mais comentários da história da blogosfera!

Anônimo disse...

Este facista de merda, só servem para fazer ameaça as pessoas de bem.

Deve ser genético, avó facista, netos mais facistas.

Mas tudo bem, democracia é isto. Dar o direito de vermes falarem.

No mais, força Fábio e Reinaldo.

Vocês não estaão sozinhos.

As FARCS estão contigo, e te dão proteção.

Fábio Cassimiro disse...

Não Luis, mas quem insiste neste assunto é sempre você.

Acho que vc deve ter sentido minha falta. Eu não dedico tanto tempo da minha vida com o Bah! Caroço quanto você.

Che disse...

Farc

Forças Aladas Revolucionárias do Cerrado

ou

Forças Amadas Revolucionárias Cassimirianas

Luis Fernando disse...

Insisto e vou continuar insistindo, Fábio, pois certas coisas não podem ser tratadas com leviandade e ligeireza. Este é o problema, todo ele. Vocês estão sendo levianos e acham que eu estou discutindo ideologias e nomes de viaduto. Não estou e não estarei.

Não ache que derivo especial prazer em freqüentar este blog. Garanto que por minha vontade vocês não estariam na minha lista de leituras. Não recomendaria vocês nem aos inimigos que eventualmente tivesse.

Mas isso não impede que eu continue aqui. Apesar de vocês não filtrarem comentários anônimos como os anteriores. Apesar de vocês não estarem interessados no assunto. Apesar de vocês fazerem confusão consciente entre o que eu escrevo e outros escrevem. É chato, muito chato. Mas não vai parar.

Fábio Cassimiro disse...

Luis, nós não apagamos anônimos assim como também não apagamos os seus comentários, geralmente em tom arrogante, agressívo, pessoal e preconceituoso.

Anônimo disse...

A foto do tal historiador foi tirada do cemitério?
Ou aquele olhar distante, aquela luz de lado é coisa de artista de filme dos anos 50?

Luis Fernando, relaxa, se seu tio era integralista não tem problema. Tem tanto neto de nazista que nem preocupa-se mais com isso?

Agora, caso não seja, desencana de novo. A plaquinha debaixo do viaduto não fará nenhuma diferença porque ninguém lê mesmo!!!