28 julho, 2008

A mosca do cocô do cavalo do bandido


O filhote de José Serra com Celso Pitta, e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, confirmou que, na última quinta-feira, acionou várias subprefeituras para que adotassem ações nos locais onde entrevistadores do Instituto Datafolha estavam realizando a pesquisa eleitoral que foi divulgada no dia seguinte.

A iniciativa do prefeito foi revelada na edição deste domingo da 'Folha de São Paulo'. Segundo o jornal, o candidato tentou, dessa forma, influenciar o resultado da pesquisa.

Irritado, Kassab negou que estivesse utilizando a máquina pública. Ele disse ter mobilizado os subprefeitos para evitar o que chamou de interferências negativas.

Interferências negativas?!?! Eu tentei usar essa desculpa com uma ex-namorada, mas não colou.

A mensagem aos subprefeitos, defendeu-se ele, tinha como objetivo coibir essas ações - chamar a polícia e dar o flagrante. Mas não há tais instruções no texto do e-mail. Nele, o prefeito começa dizendo que "amanhã, bem cedo, o Datafolha recomeça a pesquisa de campo". E avisa: "Assim como hoje, onde alguns foram identificados, seria ótimo se acontecesse amanhã. E evidentemente, identificado o ponto, que tivéssemos uma ação".

Ao tentar se justificar, Kassab chegou a afirmar, ontem, que "partidos adversários" provocam até acidentes de trânsito em dia de pesquisa para influenciar a opinião dos entrevistados.

Eu já ouvi muita desculpa esfarrapada, mas alegar que a oposição provoca acidentes de trânsito para prejudicá-lo nas pesquisas é delírio puro e simples.

Quem coordena a campanha do Kassab? Quincas Borba?

Kassab não é burro. Sabe que a disputa se dará entre PT e PSDB e que ele, Kassab, é apenas a mosca do cocô do cavalo do bandido. E procura valorizar seu passe para o segundo turno, fazendo o serviço sujo de Alckimin.

É o estilo da campanha demo-tucana.

Um comentário:

online lotto disse...

Alla hu akhbar!!!