13 março, 2009

Surto de parvovirose na Câmara de Vereadores


A criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar possível corrupção no setor de fiscalização da prefeitura não foi formada por falta de assinaturas.

Cinco vereadores que haviam assinado o pedido de abertura da CPI, retiraram suas assinaturas, depois de serem pressionados pelo prefeito Vitor Lippi. São eles: Anselmo Neto (PP), Tonão Silvano (PMDB), Ditão Oleriano (PPS), Cláudio do Sorocaba 1 (PR) e coronel Rozendo de Oliveira (PV).

Os vereadores que retiraram seus nomes disseram que não agiram por pressão do prefeito, nem por covardia. Não foi por covardia, foi um surto de parvovirose na câmara.

Ou melhor, um surto de pavorvirose.

Um comentário:

João Paulo disse...

Parece que a cidade de Sorocaba tem uma fraternidade com Barbacena, em Minas Gerais. Ambas as cidades estiveram à frente do Movimento Político Liberal do ano de 1842. Ambas têm a sina de serem governadas por políticos do PSDB. No entanto, Barbacena começou a se libertar nas eleições do ano passado. Uma chapa do PMDB e PT derrotou o candidato tucano à reeleição, Martim Francisco Borges de Andrada, impondo-lhe uma diferença de 20.000 votos! Agora é uma mulher a prefeita de Barbacena. Martim, que em 2004 fora eleito pela periferia, abandonou-a aos buracos, e cuidou só de revitalizar o centro da cidade que sempre lhe fora hostil, e continua sendo. As obras se arrastaram e com as primeiras chuvas viu-se o piscinão em que se transformou a Rua XV de Novembro (principal da cidade), e a Praça dos Andradas, defronte à Matriz Santuário de Nossa Senhora da Piedade. Em vista dos buracos, os ônibus urbanos da cidade começaram a quebrar durante as viagens, dando prejuizos consideráveis à empresa concessionária. Em certos bairros, as ruas foram tomadas pelo mato, em outras, os moradores plantaram bananeiras nos buracos que apareceram, depois de várias tentativas frustradas de obter os melhoramentos reclamados.