14 outubro, 2006

Por que me ufano da nossa burguesia

O Brasil é uma grande democracia racial e social graças ao empenho de nossa burguesia ilustrada.

Durante a era FHC, diante da impossibilidade de se redistribuir a riqueza, nossas madames redistribuiram os títulos. A "empregada doméstica" passou a ser "secretária do lar". Continuou ganhando pouco, sem direitos trabalhistas, mas, pelo menos, tinha um título mais agradável.

Agora, face o perigo da reeleição do Sapo Barbudo, segundo cena presenciada por um amigo, uma certa madame conversava com sua "secretária do lar", para convencê-la a não votar em Lula e sim apoiar o Alquimista.

"- Minha filha, veja só. Antes, eu viajava para o exterior várias vezes. Este ano, apenas consegui dar um pulinho em Buenos Aires."

A secretária do lar, certamente, não mudou seu voto. Não se preocupa com as dificuldades turísticas de sua patroa.

É por isso que esse país não vai para a frente. Qualquer pobre e analfabeto, que vive às custas do Bolsa Família, pode votar, sem levar em conta as dificuldades das pessoas que lhe dão emprego.

Uma sugestão para o Alquimista (em 2010): Depois de fazer o caminho de Santiago de Compostela, apresentar um projeto de lei determinando que ou a pessoa tem direito a votar ou recebe o bolsa família. Os dois ao mesmo tempo não dá. Atrapalha a ordem natural das coisas.

4 comentários:

Raoni disse...

muito bom esse texto!

Anônimo disse...

é isto mesmo!!!

Anônimo disse...

"Secretária do lar" é ótima. Um tucanismo por excelência.

Anônimo disse...

Alckmin fazendo o caminho de Santiago de Compostela. A pé? Duvido muito.